Melhor Sex Shop virtual!

sábado, 6 de maio de 2017

Bella

Estava cansado de tanto ficar em frente o computador, depois de um dia bem cansativo e cheio de trabalhos em frente ao Photoshop. Me levantei para checar o celular e vi que ela iria vir me visitar hoje. Tentei me alongar, mas sem sucesso, na sua ultima mensagem, ela disse que viria para o meu apê às 20:00, o relógio ainda marcada 18:00. Tempo suficiente para malhar, comer e um longo banho para ficar bem cheiroso e relaxado para ela.

Vesti minhas roupas leves de corrida e fui para rua. O bom de aquecer o corpo é que as dores de ter ficado tanto tempo em frente ao computador somem e tudo que fica é a testosterona que te anima para continuar correndo. Depois de 40 minutos estava eu de volta para o prédio, entrei e corri pro banho. Meu banho costuma ser muito quente e bem demorado. Sai usando só a toalha na cintura, olhei o relógio e marcava 19:20. Coloquei para fazer pão de queijo no forno, coloquei um short e uma regata e voltei para frente do computador para terminar as minhas manipulações de fotos para clientes. 
O interfone tocou, e ao mesmo tempo o forno também avisou sobre os pães de queijo, o relógio marcava 19:50. Ela chegou um pouco mais cedo. Corri para tirar os pães do forno e corri para avisar o porteiro que a Bella poderia subir.

Esperei ela na porta e de braços abertos. Ela estava usando um vestido e por cima dele uma blusa de pelugens brancas. Quando se aproximou pude ver as suas unhas grandes e pintadas.
Abriu um largo sorriso quando me viu, o que me fez retribuir instintivamente. Que mulher linda.

Ela chegou até mim e eu a abracei, a ergui e a coloquei dentro do meu apê. Fechei a porta com o pé e a ofereci pão de queijo. Ela os ignorou completamente e foi logo me beijando e me puxando para os sofá.


Me deixei levar pela sua empolgação e seu sorriso. Não paramos de nos beijar, fui para cima dela e ela me apertou em um abraço bem quente e aconchegante. Mordi seus lábios e ela me olhou com carinha de quem queria mais. Mais beijo, mais carinho - e algumas caricias a mais.



Comecei a beijar o pescoço de Bella e ela começou a ficar mais animada. Agarrou o meu quadril e começou a erguer as mãos, puxando minha regata para cima. Enquanto ela tentava tirar a minha camisa, eu comecei a levantar o seu vestido. Seu vestido estava acima de seu quadril e revelou a sua calcinha preta de rendinhas e as suas coxas pálidas e tão excitantes. Eu me aproximei para beijar as suas costelas, e fui descendo um pouco mais, para beijar a sua barriga. Ela mordeu os lábios e pude ver a sua empolgação quando olhei para seu rosto. Ela me olhou com empolgação. Suas pernas estavam geladas, alisei-as numa tentativa de aquecer aquela bela garota, mas não ia conseguir apenas apalpando-a.


Mergulhei para o quadril dela e comecei a beijar de leve a sua virilha. Bella estremeceu, como de costume. Comecei a beijar a parte de dentro da sua coxa e ela soltou um risinho de cócegas, comecei a puxar a sua calcinha e ela ficou corada. Levantei as suas pernas e ela riu, dizendo que estava com calor, e começou a tirar o vestido por cima. A sua blusa foi parar no chão ao lado do sofá, e eu nem vi em que momento isso aconteceu.
Senti o cheiro doce de seu sabonete quando me aproximei de sua bocetinha depilada.


Ela alisou o meu cabelo quando comecei a passar a língua pelos seus lábios tão quentes. Ela arrepiou. Continuei lambendo os seus lábios até tocar o seu clitóris, Bella soltou um gemido e eu continuei investindo a minha língua contra a sua bocetinha. Lambendo cada pedacinho dela, alisando com a ponta da língua o seu clítoris, e com toda a extensão da minha lingua a sua boceta. De baixo para cima e de cima para baixo, até botar a minha boca inteira na sua boceta e sugar o seu clitóris.


Ela gemeu ainda mais, olhei para ela e ela me olhava com um sorriso de quero mais. Corada e excitada. Abri bem a boca e comecei a mergulhar toda a minha língua na sua boceta, deixei Bella bem molhada e os gemidos dela cada vez mais empolgados foram me deixando louco de tesão.
Ela começou a pedir para que eu a comesse, mas não podia parar agora. Queria vê-la gozar, é assim que funciona a regra do jogo. A lambi ainda mais e ela com a testa franzida quase não conseguia mais aguentar de excitação. Abri bem as suas pernas e introduzi a minha língua em sua boceta e ela estremeceu, dando um grito ao invés de um gemido, sabia que ela havia acabado de gozar. 

Me ajoelhei diante das pernas bem abertas de Bella e comecei a enfiar meus dedos dentro de sua bocetinha. Ela começou a implorar para que eu metesse dentro dela. Fui abaixando o meu short e ela ficou ainda mais excitada ao ver o estado em que o meu pau se encontrava. Com o meu dedo do meio e o indicador, comecei o vai e vem em sua bocetinha. Ela queria fechar as pernas, mas eu não deixava, continuei o vai e vem, enquanto Bella ficava ainda mais molhada, cada vez mais.
Bella gemeu bastante e se retorcia no sofá. Agarrou a minha camisa com força enquanto perdia o folego ao gozar mais uma vez com os meus dedos.


Ela estremeceu toda as suas duas pernas. Eu mantive elas abertas, bem abertas para mim. Me enfiei entre as suas pernas e comecei a esfregar a cabecinha do meu pau duro nos lábios molhados de Bella. Ela se levantou para me beijar e mais uma vez eu mordi os seus lábios, chupei a sua língua e ela sorriu para mim. Me abraçou por um instante, mas preferi deixa-la deitadinha e de pernas abertas.

Coloquei a cabeça do meu pau entre os lábios vaginais. Comecei a deslizar o meu cacete para dentro de sua bocetinha, já molhada. Por um instante Bella pareceu perder totalmente a concentração. Me olhou com olhos de quem acabou de receber uma injeção, e logo em seguida, com o rosto corado de vergonha e excitação, ela voltou ao seu estado emocional de pura luxúria e prazer!


Me debrucei por cima de Bella e comecei o meu vai e vem dentro dela. Ela gemeu alto mais uma vez, e lembrei que não fechei a porta da varanda. Provavelmente os vizinhos ouviriam os gemidos e os gritos de Bella, mas não liguei. Me concentrei em erguer ainda mais as pernas daquela bela mulher e me concentrar em sua boceta, e no seu clitóris. Senti a cabeça do meu pau esmagar o seu ponto G, e ela soltou um grito ainda mais alto, principalmente quando com um vai e vem bem devagar, eu fui esmagando o céu de sua boceta com as veias do meu cacete, e ao longo da velocidade que eu iniciava, para mais ou para menos, ela se retorcia de desejo e vontade de continuar recebendo o meu pau. Com sua boceta molhada e apertada, meu cacete entrava com facilidade, mas era beliscado ao tocar o fundo de sua bocetinha.




Trocamos olhares, caricias e mais beijos e eu me sentei ao seu lado para segurar o seu quadril e deixa-la de lado. Ela entendeu o que eu queria, a nossa sincronia é adorável, não precisei nem pedir e ela já ficou de quatro para mim. Empinou bem o seu bumbum redondinho para eu poder brincar. Com aquela bocetinha brilhando de tão molhadinha, comecei a brincar com o meu cacete, alisando os seus lábios, contornando toda a extensão de sua boceta. Ela adora quando eu brinco e me esfrego em sua xoxota. Ela se contorce toda e eu adoro quando ela faz assim. Esfregar o meu pau duro em seu clitóris a faz enlouquecer. Ela anseia pela minha penetração, mas eu brinco e ela pede para que eu meta fundo. Sem pressa alguma, eu continuo brincando com a sua fenda, e ela fica impaciente querendo receber logo a minha tora.

E então eu me concentro e começo a enfiar. A cabeça do meu pau é engolida completamente pela sua bocetinha molhada, e entra com facilidade. Sinto o cheiro de sexo, da sua boceta sendo invadida e imagino que ela deve ter sentido também, o nosso calor, o nosso suor sendo transmitido um para o outro. O nosso momento de intimidade, o nosso momento de prazer. Abro bem a sua bundinha pro meu cacete deslizar bem fundo para dentro dela, e os seus gemidos aumentam, aliviada de estar recebendo cacete dentro. Ela sente a cabeça do meu pau invadindo cada vez mais fundo o seu espaço. Eu gemo de prazer, ao ter o meu cacete todo engolido por sua bocetinha, e me delicio com a olhada que ela me dá, virando o rosto para trás. A sua sobrancelha franzida, mas não de dor, nem de raiva, mas de prazer.


Continuo metendo em Bella, bem devagar e com muito amor, e gradativamente ela vai mexendo com o quadril para que eu aumente a velocidade. Respeito o ritmo dela e continuo bombando nela, estalando nossos corpos juntos batendo um no outro. Entramos em um ritmo gostoso e ela vai gemendo cada vez mais, aumenta o som de seus gemidos e eu permaneço ainda mais excitado e mais louco pro estar satisfazendo aquela Deusa. Me aproximo de seu ouvido e digo o quanto e a amo, e o quanto eu gosto de estar dentro dela, e ela geme, de olhinhos fechados, quase sem conseguir se concentrar na reciprocidade das palavras que ela queria pronunciar. 

A sua boceta esmagando o meu pau, no vai e vem. Ela louca, eu gemo em seu ouvido e ela estremece, gozando com meu cacete dentro dela, mantendo ela bem quente. Sussurro em seu ouvido que vou gozar, e ela fala para eu gozar nela, que quer sentir o quentinho do meu leite caindo sobre ela.

Eu tiro o meu cacete e nem preciso me masturbar para jorrar a porra toda por cima de Bella. Minha porra voa sobre o seu anus e a sua boceta e escorre pelos seus lábios, ela estremece novamente e continua a gemer, sentindo o prazer do meu esporro descendo pela sua parte intima.



Esfrego meu pau na sua bunda limpando a porra que ficou, e ela deita de bruços no sofá, aliviada pela foda que acabamos de ter. Eu me ajoelho no chão para ficar ao seu lado e a beijo calorosamente. Pergunto como foi o seu dia e se agora ela quer tomar um café com pães de queijo, e ela aceita.