Melhor Sex Shop virtual!

terça-feira, 20 de maio de 2014

Noite agitada com Cristina (Parte 1)

E depois de um árduo dia de trabalho, nada melhor do que ir comer uma buceta doce e suculenta no bordel Boa Chupada.
Fui para lá com todo o meu salário, e com vários dias sem me masturbar, justamente para aguentar o tranco. Comprei no sex shop uma pomada para passar em buceta, que faz esquentar as coisas por lá.
_Passa a pomada no dedo e massagea o clitóris dela.
Foi o que a mulher do sexshop, usando calça legging e de bunda empinada me disse. A minha vontade era oferecer o meu cacete para ela chupar, e o clítoris dela para eu testar o produto. Mas me segurei.

Cheguei no bordel boa chupada e já estava de pau duro. Fui direto para área vip. Dei minha comanda para anotarem o espaço vip e me sentei na poltrona para assistir as strippers.
Fiquei sentado, empolgado de pau duro e não me preocupei em mostrar o volume do meu cacete. Estava de calça social no dia, e uma camisa de botões, fiquei mergulhado na poltrona, só esperando pelo tratamento vip. Do meu lado, um senhor de terno e gravada recebia um boquete de uma puta loira muito provocante. Como já foi descrito antes (leia aqui), o canto vip é escuro, e quem esta ali sentado, recebe chupadas vips de prostitutas deliciosas, sem custo adicional nem nada. Apenas para agradar aquele que vai pagar um pouquinho a mais. As putas que estão ali nas poltronas vips estão dispostas a tudo, mas se for para ter penetração, precisa subir para o quarto.

Uma puta meiga se aproximou de mim, com um sorriso e sotaque carioca, tinha seios pequenos então dispensei, disse que só estava observando. Quando se virou para se retirar, perguntei por Cristina. Ela disse que ia chamar.

Continuei assistindo a loira chupar o homem ali a dois metros de mim. Não conseguia enxergar seu rosto, mas parecia ter seus 40 anos. A puta eu conseguia enxergar bem, de joelhos no chão e cacete inteiro na boca, fazendo garganta profunda. O homem delirando, gemia alto. Mas seus gemidos eram abafados pelo som alto das strippers no palco.


Cristina chegou, sentou-se do meu lado e me deu um beijo no rosto. Eu já havia saído com ela algumas outras noites, além daquela que relatei aqui (leia aqui). Fiquei falando no ouvido dela que pensei nela o dia todo, e que queria a noite completa, buceta, chupada e anal.
Ela foi ficando animada. Como qualquer outra mulher, costa de ser provocada ao pé do ouvido. Ela começou a alisar o meu cacete e eu comecei a passar a mão pela sua cintura. A luz estava bem fraca de onde eu estava, abri minha calça e ela foi logo caindo de boca. Comecei a apalpar seus seios fardos, e ela ia engolindo meu cacete com mais vontade.

Alisei seus seios e logo em seguida fui caminhando os dedos pelo seu corpo, até chegar na sua bunda. Enfiei minha mão por debaixo de sua calcinha fio dental, que usava para desfilar ali pelo bordel, passei o dedo médio por cima do seu cuzinho e cheguei na sua buceta, onde comecei a penetrar.
Era contra as regras, mas eu comecei a fazer com jeitinho e devagarinho.

Ela tirou o cacete da boca e começou a gemer:
_Aqui não, você sabe.
_Deixa eu foder seus seios.

Mais uma vez, Cristina olhou para ambos os lados. Do nosso lado esquerdo, a loira chupando o senhorzinho. Ele começou a gemer alto e gozou. E mesmo gemendo por ter gozado, a loira continuou chupando ele, bem no fundo. Dava para ver a silhueta dela, o vai e vem gostoso. Do outro lado um homem acabava de se sentar na poltrona e apreciava o show no palco. Cristina abaixou o topzinho preto que vestia e mostrou para mim os voluptosos seios fardos. Enormes. Eu só conseguia me lembrar daquela noite que a fodi, os seios balançando na minha cara. Como era bom. Meu pau molhado, ela abraçou com os seios, ia vindo de cima para baixo e lambendo a cabeça do meu cacete. 

Enquanto ela me fazia este agrado, a puta loira do lado sentou-se na poltrona, do lado do senhor, que guardou o cacete para dentro da calça. Do meu lado direito, o cara que tinha acabado de chegar acabou de receber a visita de uma puta ruiva, que começava a alisar o pau dele ainda dentro da calça. No palco, uma puta chacoalhava a bunda a todo vapor ao som de funk.

O meu cacete coberto por aqueles seios macios e gostosos. Sussurrei para ela em meio a um gemido que queria enfiar ele todo dentro dela. Ela riu. Colocou ele dentro da minha calça e foi para perto do meu ouvido, ainda segurando meu pau por cima da calça:
_Me foda Edgar.

Não precisou pedir duas vezes. Eu estava explodindo de tesão mesmo. Cacete molhado, sangue todo bombeado para ele. Me levantei e ela me deu as mãos, fomos de mãos dadas subindo as escadas. Fomos para o segundo andar e entramos em um dos quartos do fundo, um numero alto. Passei pela porta e ela já foi trancando-a. Eu tirei a camisa e fiquei a vontade, enquanto ela acendeu a luz vermelha e ligou a TV, ligado em algum canal porno 24 horas.

Já estava despido. Ela foi pra cama e arrancou o topless de vez e colocou a calcinha fio dental de ladinho. Só pra me provocar, começou a se masturbar. Estava molhada e com um sorriso lindo no rosto. Peguei a camisinha que nos aguardava em cima da cama, joguei as roupas longes e já foi subindo em cima dela. Coloquei suas pernas e cima do meu ombro, e, sem deixar ela tirar os dedinhos do clitóris que masturbava, fui enfiando meu cacete bem devagar na sua bucetona larga e molhada. Sem dificuldades pra entrar. Apalpei seus seios enquanto investia no vai e vem.

O vai e vem estava uma deliria, e eu anos luz de gozar! Fui metendo a vara o mais fundo que conseguia dentro de Cristina, e tudo que ela retribuia era com suas contrações na vagina, e seus seios fardos balançando, pareciam balões de festas ao vento. Blafemava.
"Oh meu deus", "Caralho Jesus", "Porra Deus"

Deus pra lá, Deus pra cá, e eu imaginava:
_Minha pica tem o nome de Deus por um acaso?

Mandei ela ficar de quatro. Ficou com vontade e sem demora. Comecei a estocar meu cacete de novo em sua buceta. Prendi sua respiração por alguns segundos para dar uma contraída. Sua buceta esmagou meu pau como um oral de uma boca bem pequena. Uma delicia de mastigada. Soltei a mão para ela respirar de novo e ela me pediu para estocar mais fundo. Estocava com força dentro dela. Meu cacete pedindo pra gozar. Pausei.

Desci de trás dela e pedi por outro espanhola. E lá foi ela. Com aqueles seios enormes embrulhar meu cacete, aquele macio, aquele calor na cabeça do meu pau. Tirei a camisinha as pressas e gozei na sua cara. Esporrei pelo seu nariz, cabelo e olho.
Depois que ela engoliu o que havia caído na boca, eu a beijei. Sujei meu nariz.


Meu pau continuou duro como de costume. Fui colocando outra camisinha e ela já foi ficando de quatro mais uma vez. Abriu bem a bunda para eu poder entrar. Alcançou no criado mudo o sachê de lubrificante para eu ficar a vontade. Abri o sachê com o dente e espalhei todo pelo seu anus. Uma camada de lubrificante ficou na porta do cuzinho de Cristina e eu fui enfiando para dentro com o dedo do meio. O restante do sachê passei em cima da cabeça do pau. Assim que tirei o dedo do meio do seu cuzinho, comecei a enfiar a cabeça do meu pau. Ela estremeceu.

Apertei seus seios e ela mais uma vez blasfemou. Com a outra mão, investi meus dedos no seu clitóris e comecei a massagear sua buceta, enquanto meu vai e vem com o cacete penetrava o seu cu.

Cristina começou a gritar ainda mais e a dar gemidos alucinantes. Seus seios estavam balançando com as minhas investidas e a sua buceta entrando em colapsos. Comecei a enfiar três dedos dentro de sua bucetona larga, e sentia o calor dela, no pau e nos dedos, e seus gemidos aumentavam.

Cristina se virou para mim com olhos lacrimejantes e gemidos tão agudos que me deixaram ainda mais excitados. Apertei o seu pescoço. para deixa-la ainda mais louca, e ela em vez de gemer apenas gritou um som mudo.

Sua buceta contraiu toda, mastigando meus dedos lá dentro, enfiei mais um dedo e comecei a masturbar ainda mais rápido. Seus gemidos foram aumentando. Mesmo sendo puta, dá pra sentir quando uma mulher realmente está excitada delirando de prazer ou fingindo.

Seu cuzinho apertou ainda mais meu cacete, que não consegui mais avançar sem socar o pau lá dentro, forçando todo meu quadril para em direção ao seu corpo. Sentiu meu pau grosso estocando mais fundo a sua bunda e, engolindo em seco, começou a rebolar em cima do meu cacete, começou a ir e vir, engolindo meu cacete com o cuzinho rosado. Mandei ela se deitar e ela ficou com a cabeça grudada na cama. Continuei metendo fundo, o mais fundo que conseguia.

Eu conseguia me ver metendo fundo no cuzão gostoso de Cristina pelo espelho em frente a cama. Vi o seu rostinho com a sombrancelha pedindo arrego. Então tirei meu cacete do seu cu e cai de boca naquele buraco arrombado que deixei com o pão. Enquanto lambi ao cuzão de Cristina, fui enfiando meus dedos na sua buceta. Enfiei os quatro e comecei a ir e vir. O vai e vem veloz e o vlapt-vlupt molhado de sua buceta aberta. Enfiei meu polegar e fui colocando minha mão toda dentro de sua grande buceta. Encontrei seu ponto G e comecei a alisá-lo. E foi assim que seu cu começou a piscar gostoso, sua buceta se constraiu e ejaculou. Toda sua goza misturada com uma bela urinada branca. Desesperada, com a bunda vermelha e buceta mais arrombada do que já havia vista antes. Toda a cama e as pernas molhadas.

Deitou cansada, arrombada e fodida ali na cama. Mas eu ainda estava com meu cacete duro.
Fui para as costas dela, comecei a beija-la e a falar mais bobeiras no seu ouvido. Comecei a alisar o seu corpo para arrepia-la, e ela só rindo. Dizendo que desse jeito ela nunca tinha sido arrombada.
Ela se deitou de barriga para cima, e eu comecei a esfregar meu cacete ainda com capote nos bicos de seus seios enormes. Ela foi logo agarrando, tirando o capote ainda com cheiro de cu, e caindo de boca no meu cacete. Quando me fazia uma garganta profunda, tirava meu pau de sua boca e mergulhada entre seus seios maravilhosos.

Cristina era mesmo deliciosa. Mas ainda não tinha gozado. Falei que tinha um brinquedinho para ela. Fui para o meu paletó, saquei a pomadinha comprada no sexshop e disse para ela que lambuzaria ela todinha daquilo. Ela riu, disse que não aguentaria mais meu pau, mas que faria por puro profissionalismo. Agarrou meu cacete e começou a me masturbar bem de leve enquanto eu tirava o lacre da pomada. Então, tive uma bela idéia: Ter mais uma puta ali.

Pedi para Cristina chamar mais uma puta ali para o quarto. Ela pareceu adorar, correu para o telefone do criado mudo e ligou para a recepção.

--- Continua no próximo conto.


E para quem gostou, COMENTE! E fique atento, pois o próximo conto virá em breve! 

10 comentários:

  1. Gostei nada... A.D.O.R.E.I!!!
    Já seguindo fielmente!!
    \o/
    bjssssss
    (visite-me)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo apoio minha cara leitora. volte Sempre!!!

      Excluir
  2. Uma vez eu comprei uma pomadinha na sex shop e a vendedora me explicou que servia p/ retardar a ejaculação! Meu namorado jovem jogou pra lado e nem quis me ouvir!
    Num lugar privado e escuro...lembro uma vez que fui numa boate gay com meu melhor amigo e entrei no dark room...quando peguei num pau, minha mão foi grosseiramente empurrada - até parece que um boiola ñ vai saber que temperatura e toque da mão feminina é diferente...
    Meu sonho é ser fudida com as pernas nos ombros do cavalheiro, sabe?!
    (rs)Tem gente que quando transa parece que está num templo - é tanto "Obrigado, meu Dews!" af
    Se tudo que vc relata for verdade, meu caro, parabéns!
    Uma prostituta que goza é incrível mesmo!!!
    Ansiosamente meladita aguardando a segunda parte! ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahah, olha só, que namorado mais bobo este teu. Poxa, se algum dia alguma namorada chegasse com uma pomadinha sacana para mim, com certeza eu usaria. E a noite toda ainda.

      Oras oras, esses Dark rooms, ouvi falar que sao perigosos. Já tentaram me levar para estas salinhas, rola de tudo por lá né.

      hahaha, essa do templo é verdade... Mas é gostoso ouvir sempre. Nem preciso ir na igreja de tanto que já ouço.

      Oras Chocolícia, eu já disse pra ti que posso te provar que tudo que falo é verdade. Me manda teu endereço, fotos, email pessoal. Eu vou até voce e te faço subir pelas paredes muié.

      Beijos.

      Excluir
  3. Blog muito quente!!
    Contos envolventes!
    Libido à flor dos poros!!
    A.M.EI...
    Sua fã e seguidora assídua...
    Bjos
    =';'=

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já estou navegando pelo teu blog! Obrigado pelos comentarios.

      Excluir
  4. ai...kisera EU estar no lugar dessa prostituta!!!...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu convite está sempre de pé! :P
      E meu pau por você também.

      Excluir