Melhor Sex Shop virtual!

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Fodendo a Leitora Safada (Parte 2)

Olá Leitores, estou eu aqui mais uma vez para falar mais do meu encontro com a Leitora Safada!

Segue aqui o link da Parte 1 dessas aventuras loucas com a Leitora mais Safada do Cenas Muito Quentes.

---

Depois que gozei em suas costas (como citei no conto anterior), ela disse que eu teria que gozar dentro dela, porque era esse seu fetiche. Eu continuei a beijando, e ela também, em cima de mim.
Começou a me masturbar, e meu pau não amoleceu, estava pronto para outra.


Ela ajeitou o pau para dentro de sua buceta, ainda molhada e gostosa, e começamos a meter novamente. Segurei seu quadril mais forte e comecei a bombar. Ela colocava seus seios na minha boca, e quando os tirava me beijava. Eu metia nela com força, estocando meu pau com vontade dentro da sua buceta. Sentia contrações vindo, e seus gemidos ficando mais alto, mas eu não queria parar.


Já tinha gozado, mas meu pau continuou ereto e forte. Não parei de bombar.

Sentei-me no sofá e ela foi me acompanhando. Segurando sua bunda, comecei a estocar mais fundo, e ela, abraçada em mim, continuava falando para eu continuar estocando, porque estava bom. Comecei a sentir que a buceta dela estava começando a se contrair mais, e seus gemidos estavam ficando mais agudos. Era a hora de acabar com aquela gostosa.

_Você esperou muito pela minha pica é?
Ela sorriu, mas com dificuldades, olhava para meu pau entrando e saindo da sua buceta, delirando, admirando aquela cena.
_Sim, esperei bastante.

Comecei a bombar mais na sua buceta. Larga e escorregadia. Quente como o inferno. Comecei bombando um pouco mais e já senti a dificuldade dela em me acompanhar. Senti a cabeça do meu pau gozando, mas não parei. Senti a goza saindo de dentro dela e escorrendo pelas minhas bolas, mas também não parei. Continuei metendo nela, e ela gemendo. Começou a sorrir, deliciada com o ritmo que íamos ganhando.
Me deitei no sofá e mantive ela sentada em cima de mim, e comecei a bombar mais.

Ela começou a gemer mais alto e mais alucinadamente.
_Eu nunca senti isso com meu marido, Edgar.

Quando essas palavras entraram no meu ouvido, eu ganhei ainda mais força, e comecei a meter mais ainda nela. Mais alucinadamente, mais forte, e mais rápido.
Os gemidos dela foram se transformando em gemidos mais altos, até se tornarem em suspiros de cansaço, e ela começar a fechar as pernas, me prendendo ainda mais ali no sofá.
Ela deu uma de querer sair de cima de mim, mas eu a puxe.
Ela sorriu, e fechou os olhos, delirando com aquela foda. Seu rosto ficou corado e ela começou a gemer com a boca aberta, sem parar para respirar, só para molhar os lábios com a língua. Comecei a bombar mais e senti mais goza saindo da cabeça do meu pau, até que gozei mais um jato de porra. Dessa vez dentro dela.

Ela gritou de prazer e senti a minha porra escorrendo para fora da sua buceta larga. Ela deitou em cima de mim cansada, arfando e suspirando, como alguém que acaba de sair de uma corrida. Eu tirei meu pau de dentro da buceta dela, e senti a minha porra toda cair em cima de mim. Ela riu e me deu mais um beijo.

Ficou de pé e esfregou a buceta, conferindo a porra que estava ali. Eu continuei deitado.
_Ai, coitado de você, mal tirou a calça e já fodemos. 


Eu me levantei e vesti a calça que estava no meu joelho. Ela me levou até a cozinha e me ofereceu um café. Me disse onde estava o pão, e disse que eu podia pegar qualquer coisa da geladeira:

_A casa é sua, gostosão.
Se aproximou de mim e me deu um gostoso beijo de língua. E disse que ia para o banho.

Tomei uma xícara de café e andei pela casa, explorando. Vi as fotos da familia nas paredes. Um filho muito bonito e um marido com cara de coitado. Um homem careca e gordo, que faz a barba todos os dias. Senti pena dele por ter uma esposa que convida alguém para come-la quando ele viaja, mas, logo pensei:

"Se ele desse mais atenção, ela não estaria procurando por contos eróticos na internet".

Ela saiu do banho e fomos para o quarto. Ligamos a TV e ficamos conversando, deitados na cama. Ela disse que queria arrumar a casa para mim, mas eu pedi para ela não se importar. Perguntei também se não haveria problemas de não usarmos camisinha, na esperança de ela não se importar, e foi como eu imaginava:
_Ai Edgar, desde que tive meu filho, eu sempre quis ter outro, ainda quero ter uma filha. Mas o <Esposo> não consegue mais me dar uma filha. Desde então nós nunca mais usamos camisinha, e eu também nunca mais tomei anticoncepcional. Se quiser me fazer uma filha, fique a vontade.


Rimos da situação. Conversamos bastante sobre o blog, e sobre a loucura dela ter convidado um estranho para a casa dela, ainda mais ter fodido com ele sem ao menos ter conversado com ele antes. Acontece que já conversamos tanto nos ultimos meses, que já estávamos intimos.

Conversa vai, conversa vem, estávamos nos beijando novamente. Ela começou a falar que passou muito tempo lavando bem a buceta, para eu poder usa-la.
Minha mão já estava na sua buceta e ela já estava gemendo no meu ouvido falando que me chuparia até o caroço.

Ela fez questão de preparar um almoço para eu comer. Comemos e logo depois do almoço, depois de lavar a louça (eu a ajudei, claro), fomos ver TV no quarto. Para falar a verdade, mal ouvi a TV, ja que ao nos deitarmos, eu já estava com a boca nos seios dela, e ela no meu colo, se esfregando no meu pau duro. Dessa vez me levantei e tirei toda a minha roupa. Ela, que todo o tempo estava apenas de roupão de banho, só o abriu para mim, e abriu bem as pernas.


Caí de boca mais uma vez naquele bucetão gostoso dela. Dessa vez, ela mais empolgada com a minha chupada, foi logo rebolando o quadril, delirando e gemendo. Eu segurei nos seus dois seios e comecei a aperta-los. Ela foi delirando e gemendo. Contorcendo todo o corpo enquanto eu a chupava lá embaixo. Esfregando meus lábios naquela cona gorda e preta. 

_Ai Edgar, eu nunca fui chupada desse jeito, deixa eu te chupar deixa? 
Falou ela com dificuldades, já que estava delirando com a minha língua. Quando ela pediu para me chupar, já tive uma idéia: Fazer algo que ela nunca fez na vida. Me deitei e pedi o 69. 


Ela foi bem devagar para cima de mim, colocando minha cabeça entre suas pernas e caindo de boca no meu pau teso e mirando para ela. Começou a me abocanhar assim que senti seus seios encostando a minha barriga. Comecei a apalpa-los e a chupar aquela cona gostosa mais uma vez. 

Eu mal pude me concentrar na buceta dela enquanto chupava pois, o boquete da Leitora Safada é simplesmente o mais gostoso. Me deixa bravo saber que o marido dela não aproveita o que tem. 

Ela segurando meu pau com a ponta dos dedos, ia me chupando, sugando a cabeça do meu cacete com a boca, e me masturbando, para cima e para baixo, em uma velocidade que não me fazia gozar, e nem meu pau broxar. E sugando meu cacete, lambendo a cabeça do meu pau. 
Eu comecei a passar a língua na buceta dela, e sentia que as chupadas no meu pau iam desacelerando, ela parava sempre que sentia contrações fortes na cona. Comecei a enfiar minha língua na xana dela, e senti escorrer ainda mais libido daquela cona preta. Comecei passando dois dedos no clitóris dela para sentir ela agarrar meu pau com força, fechando a mão, já sem aguentar aquele 69 delicioso. 


A minha Leitora Safada estava implorando por pica. Pedi para ela se levantar e ela já foi ficando de quatro para mim. Abrindo bem a bunda. A buceta já aberta, toda lambuzada. Ela com a cabeça no meio do travesseiro, aguardava meu pau entrar. Entrou e comecei a meter nela, sem dificuldades nenhuma. Senti ela gemendo, e a buceta contraindo. Eu ali, imitando um cachorro atras dela, ia metendo sem parar. Depois daquele boquete gostoso, o único jeito de retribuir era acabando com ela na cama, e naquela posição tão gostosa. 


Não parei de meter, meu ritmo foi aumentando e ela só gemendo, cada vez mais alto. O sol lá fora entrava no quarto, e já acertava a cama. Eu ia metendo mais rápido e os gemidos dela só aumentando. Ela parecia agora nem estar preocupada se os vizinhos ouviriam ou não aqueles gritos de prazer vindo dela. E na metida que ela gritava de prazer, e começava a gritar por "Foda mais Edgar, fode mais Edgar", eu ia bombando ainda mais, subindo em cima dela. 
Eu dei um tapa na bunda dela e ela sorriu. Senti que ela gostou daquilo. 

É claro, ela estava adorando tudo que eu fazia, porque o maridão não fazia nada daquilo. Cheguei bem perto do ouvido dela e disse: "Vadia, vo te comer a noite toda". E continuei bombando. Dei mais um tapa na bunda dela e ela começou a gemer mais: "VAAAAAAAI, ASSIM EDGAR, ASSIM!". Mais um tapa e ela gemia mais, feito uma louca. Mais outro tapa e ela começou a gemer de prazer mais louca do que já estava.



Comecei a bombar, fui bombando o meu pau naquela cona preta esperando sentir o gozo dela chegar. Fui metendo mais rápido e estocando ainda mais fundo o meu cacete naquela buceta. Ela começou a segurar o travesseiro com força, e a gemer mais alto, e de forma continua. Quando eu percebi, ela já estava com a bunda toda vermelha, e com a cara vermelha. Soltando algumas lágrimas de prazer. Não aguentei e acabei gozando. Dentro da buceta dela. 


O meu gozo a fez deitar de cansaço. 

Ela enxugou as lágrimas do rosto e me beijou. 
_Eu nunca senti isso antes. 
Percebi que estava realizando o sonho de uma mulher de família que nunca fodeu direito. 


---

Em breve, a Parte 3 de tudo que rolou lá em Minas na casa da minha Leitora Safada. 



12 comentários:

  1. Tesão de conto...

    Bom demais...

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode aguardar que tem mais meu caro.

      Abraços!

      Excluir
  2. O segunda parte é ainda melhor que a primeira. Como pode?? rs.
    Deliciosa a forma como vc narra,consigo me imaginar no lugar dela. (Fofo a parte de ajudá-la a lavar a louça) rsrs.
    Ansiosa pela terceira.

    Beijinhus*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou da segunda parte, ainda mais que a primeira. Não sabe o como fico feliz por estar conseguindo excitar meus leitores.
      Obrigado pelo comentário. Comentários assim me fazem caprichar ainda mais nos meus contos e nos detalhes.

      Hmmm, que bom que tu consegue se imaginar no lugar dela, quando chegar nas estocadas mais gostosas, espero que tu goze como ela gozou em cima do meu pau.

      Beijinhos delicia. ;*

      Excluir
  3. Primeira vez no Blog... e já estou super excitada. Preciso urgente de você. Sua narração é perfeita, você é perfeito. Eu queroooooo.

    Garota Safada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Garota Safada! Primeira vez no blog e ja comentou, e ainda por cima consegui te deixar excitada? uau, nao sabe o como eu fico feliz! e imensamente grato pelo teu comentário!!! Volte sempre, sinta-se à vontade. E obrigado pelos elogios! :)

      Excluir
  4. Ao final do relato, enfiei o dedo lá e a pussy ficou melada! Eu ñ presto!!!

    ass.: mulé mal cumida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oooh, tadinha da mulé mal cumida!
      Claro que tu presta, tu é fooda Chocolícia!
      Vamos fazer assim, já que tu diz tanto que é mal cumida, deixa eu te dar uma cumida!!! Vem? Ou eu vou? Tanto faz!

      Excluir
  5. Impossível não ficar excitada lendo teus relatos. Cada um mais gostoso que o outro.. Não conhecia teu blog, mas saiba que ganhaste uma leitora fiel. Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oras, não sabe o como eu fico feliz em saber que tenho uma leitora fiel agora. Podendo contar contigo ja fico mais feliz e animado para escrever cada vez mais!

      Obrigado pelo comentário Isa. Um beijo e um abraço

      Excluir
  6. Nooossa Que Exitante Fiqueei Toda Molhadinha Edgar .. Espero Ler Muito Mais .. Essa Parte Dos Tapaas Adoro Ainda Mais De Quatro .. Nossa Passou Por Muitas Coisaas .. Tesãao De Historiaa !

    Beijãao Voou Continuar Lendo Seus Contos .

    Gatinha Fogosa :p !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gatinha Fogosa! Fico feliz em saber que tu vai continuar presente aqui no blog! Sempre tento trazer contos cada vez mais excitantes para os meus leitores e leitoras de plantão!

      Desculpa a demora para te responder. Beijão ;*

      Excluir