Melhor Sex Shop virtual!

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

As travessuras e os encontros com a Prima Helena (Parte 1)

Quando eu contei aqui sobre a minha priminha helena, eu falei da minha primeira experiencia sexual com ela. Caso não se lembrem, segue o link.

Falei da vez em que ficamos deitados, e estávamos sozinhos na casa dela, debaixo do cobertor, e não pude resistir. Acabei explorando a bucetinha de 13 aninhos dela. É claro, antes que me chamem de pedófilo, eu tinha apenas 14 anos. Isso são apenas lembranças do meu passado.

Desde que chupei a bucetinha dela, eu fui evoluindo. Passou-se alguns anos, como vocês sabem, eu arrumei uma namorada na escola, a Angela, onde, em breve, contarei sobre minhas outras namoradas que conheci através dela. E também tive experiencias sexuais com a Sra Cursino. Mas, o que deixei de citar foi que, vira e mexe, eu e Helena no encontrávamos as escondidas.

Em todas as festas de aniversário, ou festas de casamento, ou até mesmo em velórios, é o momento em que eu sempre via Helena. Eu e ela sempre soubemos o que havíamos feito juntos naquele quarto, naquele dia, mas nunca contamos para ninguém. Por motivos óbvios, claro.

Acontece que, em vez de esquecermos e deixarmos para o lado, não, decidimos prolongar aquele fogo que tínhamos.

Me lembro que, a primeira vez que cheguei nela, num canto, estávamos numa festa do meu avô:
_Helena, precisamos conversar. 
Eu disse, subimos para o quarto do meu avô, onde ele havia trancado para que ninguem ficasse xeretando por lá. Eu sabia onde minha avó costumava guardar as chaves, então entrei, e me tranquei lá com Helena.
Eu estava com 15 anos, ela com 14. Seus seios já estavam crescendo, e o cheiro dela me excitava.

Eu estava de pau duro, me sentei na cama dos meus avós, e ela se sentou também:
_A gente não pode fazer isso aqui, né Edgar. A gente precisa de mais privacidade.


Me lembro perfeitamente do rostinho dela se corando.
Eu tirei minha calça e me aproximei dela, com o volume enorme na minha cueca. Ela alucinou. Tocou meu pau com curiosidade e timidez. Se levantou e abaixou o short que usava, se deitou de bruço na cama e disse:
_Pode apalpar, mas não vai fazer aquilo de novo...

Eu subi em cima dela, e comecei a esfregar o meu pau pela bunda dela, por cima da calcinha dela.  Eu me aproximava do pescoço dela e ficava gemendo. Sentia que ela estava gostando. Nossos corpos ali, juntos, esquentando. Estávamos ficando mesmo com calor. Meu pau duro, eu ficava cutucando ela com a cabeça do meu pau, e ela parecia gostar.

Não podia perder a oportunidade, comecei a me masturbar ali em cima dela, atras da bunda dela, e gozei. Minha goza foi longe, pegou as costas dela. 
Achei que ela fosse reclamar, mas não reclamou. Riu e disse que eu tinha ido longe demais... E não disse mais nada. Ajudei ela a se limpar, e ela vestiu o shorte por cima da calcinha gozada. Demos um beijo longo e molhado, e voltamos pra festa.

***
Em um outro momento, numa festa da minha tia que eu e meus primos começamos a brincar de esconde esconde, naquele momento que os adultos estão conversando em rodinha, e foda-se as crianças e os adolescentes. Alguns partem pro video game, alguns vão para rua afim de ir embora, mas eu e meus primos, meus colegas (Caue, sempre junto), fomos brincar, é claro, com o interesse de conhecer as amigas das minhas duas primas.

Com o pretexto de me esconder muito bem escondido, corri para o quarto da minha prima Helena. Ela, fingindo que não sabia que eu ia para lá, foi junto comigo. Assim que chegamos lá para nos esconder, trancamos a porta e eu já fui tirando a calça dela. Ela deixou, estava animada e sorrindo, esperando o que iamos fazer em tão pouco tempo.

Abaixei a minha calça e comecei a me masturbar. Ela só rindo, ficou de quatro para mim, empinando a bundinha para eu poder gozar.

Cheguei bem pertinho do ouvido dela e pedi:
_Posso gozar? 

E ela disse que sim, beijando minha boca.

Gozei gostoso em cima da calcinha preta dela.

Corremos para nos vestir, e destrancar a porta. Ficamos juntos atras do quarta roupa. Enquanto esperávamos que iam procurar por nós lá no quarto dela, eu fiquei segurando seus seios, apalpando.

E ela adorando. Ficamos trocando beijos quentes e gostosos, até ouvir o passo da primeira pessoa chegando no quarto.


---
Pra não ficar muito longo. Volto a contar mais sobre mim e sobre minha priminha num próximo post. 

Não esqueçam

4 comentários:

  1. Peripécias sexuais em começo de adolescência...quem nunca?
    Sua vida íntima é mó legal desde sempre hein, Edgar?! A minha é a comédia dos erros, desveturas sexuais em série!!! :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que isso, aposto que quando as tuas peripécias sexuais começaram, tu aproveitou bastante Chocolícia! :)

      Excluir
  2. que delicia, to muito afim de fazer um sexo gostoso, meu boquete e delicioso, todos falam, queria que vc me comesse Edgar, pena que não te conheço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais pena ainda é eu não te conhecer. Mande-me um email: cenasmuitoquentes@gmail.com, estou ansioso para te conhecer e para te comer também!

      Beijos.

      Excluir