Melhor Sex Shop virtual!

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

O Melhor show de Webcam (Webcam #5)

Apresentando, com você, o MELHOR SHOW DE WEBCAM até agora, na quinta edição dessa série, com vocês:




1:05 - Seus gemidos contagiam, é impossível não ter uma ereção!
1:40 - Suas primeiras contrações, suas primeiras ejaculações. Perceba como ela perde o controle se exibindo.
2:40 - Ela se perde a cada minuto com uma loucura!
4:00 - Isso mesmo, ficou de quatro, começou no cuzinho, e parte para penetração dupla!

O Melhor show de webcam, palmas para ela!  

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Sexo, Putaria e Rock n Roll


Olá pessoal, para quem ainda não conhece o Bordel Boa Chupada, eu falei sobre ele aqui, neste post sobre a Natasha. Hoje, contarei sobre a segunda vez que fui no bordel Boa Chupada, mas, diferente da primeira vez, não fui para um quarto de luxo, e nem com a deusa da Natasha, mas, espero que gostem mesmo assim. 


Por dias fiquei louco de tesão, pensando a toda hora em Natasha. Na noite que contei aqui no blog sobre a minha aventura com a deliciosa Natasha, no Bordel Boa Chupada, acabou quando, depois de uma trepada violenta, ficamos fumando narguille na cama redonda do quarto vip. Acontece que, depois daquilo, ela foi pro banho, Jorge me agradeceu pela foda e disse que eu estava convidado para voltar sempre. E sempre que ele estivesse ali, eu não precisaria pagar para entrar, mas que teria que pagar pelas putas, principalmente por Natasha, a mais cara e mais cobiçada da casa.
Por este motivo, não me animou voltar para comer Natasha, mas fiquei louco de tesão e desejo para voltar lá, só pra ver pelo menos o rabo delicioso daquela gostosa.


Voltei no sábado da outra semana, fiquei 5 dias socando punhetas e mais punhetas pensando naquela foda deliciosa que tivemos, não parava de lembrar nos dois paus entrando e saindo de Natasha, e ela gemendo em cima de mim. 


Quando entrei no Bordel Boa Chupada, vi a stripper da noite, rebolando na frente de um velho de roupas sociais. O Velho estava com o pau duro, demonstrando isso, e a stripper socando a bunda na cara do velho, rebolando loucamente, por pouco não voava suor das costas da vadia cansada na boca do velho. Olhei ao redor, vi algumas putas andando pra lá e pra cá, a maioria vestida de empregadas safadas, ou de diabinhas. Até mesmo a bar-girl estava com uma roupa apertada e voluptuosa.

Me aproximei do balcão, assim que entrei no Bordel recebi uma comanda onde se marcam as bebidas, deixei em cima do balcão e a moça servindo um drink pra dois rapazes logo ao lado já me perguntou o que eu iria querer, pedi uma coca, ela anotou na comanda e me serviu sem demora, muito atenciosa, claro.

Peguei a coca e fiquei olhando para a stripper, deliciosa, estava prestes a sair, a musica mudou de Shakira para System of a Down, e então entrou uma peituda com muito entusiasmo no palco. Ela rebolava muito, passava as mãos nas coxas e delirava os marmanjos na cadeira próximo a ela. A garota sabia como agitar a noite, dava pequenos saltos conforme a musica ia se desenvolvendo, fazendo seus seios vibrarem, para cima e para baixo, causando a loucura de todos ali ao redor. Quadril bem desenhados, usando apenas uma calcinha fio dental, e dando reboladas girando no palco. Delicia de garota, batons vermelhos e olhar bem penetrante. Começou a tirar bem de leve a calcinha, levantando o pau de todos ali só com os singelos toques na lateral da calcinha, levantando e abaixando. Sorria com o canto da boca, não estava ali por grana, estava para fazer gozarem pensando nela.

Empinou a bunda e começou a mexer os quadris, para esquerda e para direita, com demora, sem pressa, e assim ia tirando a calcinha fio dental do meio da bunda.


Se levantou, ficou de corpo ereto e a calcinha já estava no chão. Foi se abaixando, se sentando sedutoramente, ergueu uma das pernas e com o dedinho indicador da mão direita, foi passando, do joelho, indo pela coxa, chegando na xoxotinha molhada. Este dedinho que todos seguiram atenciosamente com os olhos, pousou e ficou ali no grelinho. Com a outra mão, caminhou também os dedos do joelho, passando pela coxa e chegando na bucetona, com esta mão, abriu bem os lábios carnudos da buceta. O dedo que já estava no grelinho, ela começou a mexer, a massagear pra lá e pra cá. E aos poucos o sorriso de fogosa dela se tornaram uma boca com dentes serrados, os olhos penetrantes em olhos fechados e loucos de tesão.





sábado, 24 de agosto de 2013

Webcam #4

Queridos e queridas leitoras.

Mais um WEBCAM para vocês!

Dessa vez, um bem rapidinho, apenas 6 minutos, a foda de um casal se exibindo na rede. A garota é linda, o garoto com um pau teso de não passar vergonha diante da câmeras, e, o melhor do vídeo, o cuzinho apertadinho da mocinha!
Que cú é esse, branquinho, delicioso. Gozei na parte que ela mostra o cu, serio mesmo. Tente não gozar!



Espero que tenham gostado queridos.


quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Delírios de Edgar #8

Queridos e queridas do Cenas Muito Quentes.

Hoje vim atualizar o blog com mais um DELÍRIOS DE EDGAR, oitava edição, e desta vez: Loucuras do Japão!


Uma japa muito gostosa (possivelmente muda), sendo fodida no metrô. Fantástico, vale a pena os 38 minutos!

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Imagem da Semana #13

Olá leitores e leitoras.

Passando aqui pra atualizar o twitter, algumas paginas que estavam paradas e deixar a IMAGEM DA SEMANA: 

Hoje vou mostrar para vocês dois desejos que estou tendo para AGORA!

1 - Uma bela bunda em cima da minha cara!
E que bunda!!! 
2 - Uma bela gozada na cara de alguém!

E que gozada!

Alguém aí se candidata?

Abraços leitores. Volto em breve com mais novidades! :P
Não esqueçam heim!

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Histórias da Fernanda #1: Fodendo com negão

Leitores e leitoras do CENAS MUITO QUENTES! 

Hoje, a primeira postagem da série "Histórias da Fernanda". Estes são os relatos dela, sobre outras fodas, fodas que ela tem no dia a dia dela, e com os outros amigos dela. Espero que gostem, pois estes relatos dela me deixam louco de tesão:

---


Eu e Fernanda estávamos deitados na cama, já era umas 2 horas da manhã e estávamos sem sono. Ela estava louca para foder e eu já havia gozado três vezes. Já tinha quatro camisinhas usadas ao lado da cama e eu ainda com o pau duro. Com a carinha de safada, ela começou a me chupar, enquanto eu mudava de canal na TV e procurava algo de interessante passando. 



Gozei na boca dela, e ela tomou tudinho, veio para o meu lado e me deu um beijo demorado. O gosto de porra em sua boca me excitou. Meu pau ficou ereto de novo, e então ela começou:
_Edgar, sabia que eu já tive um namorado assim, igual você? Que goza muito e nunca deixa o pau amolecer?
_Oras Fernanda, eu deixo o meu pau amolecer, é tu que ta mantendo ele em pé.
Ela riu, e corou.


_É serio, eu fodia com um negão quando eu tinha meus 15 anos:
"Eu ainda estava na escola, e o negão tinha seus 24 anos. Ia me buscar na escola de moto todos os dias. E todos os dias depois da aula eu chupava ele. Chupava como se não houvesse o amanha, porque eu tinha muito medo de ser pega, e nunca mais poder ver ele.
Edgar, ele tinha um pau enorme. E ele judiava muito de mim, todos os dias. 

Ele me levava para a casa dele, ele morava com a avó, e ela vivia dormindo no quarto dela. Nós íamos para o quarto dele e então ele já arriava as calças e eu ia chupando-o. 

As vezes eu ficava só de sutiã e calça, as vezes eu tirava o sutiã e ficava de calcinha, mas nunca metíamos. Eu o chupada todos os dias, e ele esfregava o pau dele na minha boca inteira. Esticava minha boca. Ficava estocando na minha bochecha, me fazendo rir.

Até que certo dia estávamos tão quentes que acabamos fazendo amor. Eu já tinha perdido a virgindade antes, mas, meter com o pau dele era osso duro. O cacete era enorme.



Ele pediu pra eu ficar de quatro, e fui me chupando a buceta. Na época fechadinha. Ele ia chupando minha buceta e eu ia me masturbando, estava ficando louca. Ele abria minha buceta com a língua, e eu comecei a gemer alto. Mais alto do que nos outros dias. 




Quando eu já estava molhada, ele se levantou, colocou uma camisinha enorme no pau preto, e começou a me penetrar. Foi tão duro, foi tão intenso, que senti dores por todo meu quadril. Ela tão duro e ele ia com tanta vontade pra cima da minha buceta que eu estiquei minha mão pra trás e comecei a segurar o pau dele. Mas mesmo assim, o pau dele era enorme, e eu mal conseguia fechar os dedos naquele pinto. 

Ele era um monstro.


Ele começou a gemer também, eu olhei pra ele, e ele tava lá, babando, louco de tesão por mim. Comecei a sentir medo e vergonha, mas aquela pica entrando e saindo da minha bucetinha estava, além de me deixar louca de tesão, quase me matando. Nunca havia entrado nada daquele tamanho na minha buceta. 
Eu já tinha tentado colocar uma embalagem de talco na minha buceta alguns meses antes enquanto eu estava me masturbando, mas aquilo era mais. 


Ele se deitou do meu lado e mandou eu ficar em cima. Quando eu subi, ele já foi colocando o pau todo na minha buceta, me rasgando. Eu me segurei na parede do quarto dele, e ele começou a bombar minha buceta. Me machucando. Mas estava bom. Eu me abaixei pra gente se beijar, e ele continuava metendo. A minha buceta ia explodir. Ela é elastica, mas o pau dele parecia inchar. Era muito grosso. A cabeça era enorme. 



Chegou uma hora que não aguentei. 


Ele nunca gozava, e seu pau era muito teso, parecia madeira. Eu desci de cima dele e disfarçando que estava tudo bem, comecei a chupa-lo. Eu queria faze-lo gozar, mas nao conseguia. Ele só segurou a minha cabeça e começou a meter na minha boca. 

Ele metia tão forte na minha boca que comecei a ficar sem ar, sem folego nenhum, e com lagrimas nos olhos. E por incrivel que pareça, ele tambem estava com lagrimas nos olhos, notei que ele estava tão excitado, que tava saindo fora de si. Mandou eu me levantar, e me deitar de pernas abertas.


Eu abri as pernas com medo. Ele segurava aquela tora enorme com as duas mãos, e masturbava o pau como se fosse uma espada. Se aproximou e eu gelei. Minha pele se arrepiou toda. E eu senti aquele pau enorme, primeiro, um monstro de cabeça, e depois seu corpo. Me arrombando, me destruindo. Eu gemia, e ele babava, ele gostava e tremia quando me penetrava. Começou a bombar, e a minha buceta foi se acostumando, aquilo estava viciante, e eu estava adorando. A dorzinha ja tinha passado, e a cada estocada ele ia mais fundo, eu conseguia sentir o pau dele batendo no fim da minha buceta. Eu comecei a delirar, fiquei de olhos fechados recebendo aquele pau enorme e fiquei toda moida, nao sentia mais minhas pernas abertas, e o formigamento no meu quadril foi chegando na minha buceta. Eu nao aguentava mais as estocadas, minha buceta nunca tinha se cansado tanto. Acabei gozando e gemendo ainda mais. Minha buceta se contraiu tanto que esmagou o pau dele, e ele gritou: 

"AAAAAAAH, VO GOZAR RUIVINHA!"

Tirou o pau de dentro de mim e puxou a camisinha. Jogou a camisinha longe, e começou a bater uma punheta com as duas mãos, até gozar todo em cima de mim."

_Gostou da historia Edgar? - Ela perguntou debaixo da coberta, segurando meu pinto. 
_Uau Fernanda, adorei, estou com o pau duro, pode me chupar de novo? 




---
Leitores, espero que tenham gostado. E se tiveram tempo para ler, por favor, comentem! Não custa nada.


quinta-feira, 1 de agosto de 2013

(Re) Esquentando

Oi lindos leitores, tudo bom com todos vocês?

Fiquei feliz em ver que, mesmo na minha ausência, as visitas ao blog não diminuíram. É uma pena ver apenas que, com a minha ausência, muita gente que tinha parceria comigo foi simplesmente tirando os links de suas paginas, e me deixando na mão. Mas tudo bem, já estou tomando as meditas corretas para esse tipo de comportamento. 

Enfim. 
Andei sumido, sim. Desde que viajei para Porto Alegre, em Maio (creio eu) que não tenho postado muitas coisas por aqui. Acontece que nesses últimos tempos sai do escritório de fotografia onde estava trabalhando no Rio de Janeiro, participei de eventos e festas quase todos os dias aqui em São Paulo. Fui obrigado a ir para Fortaleza por duas semanas com uma tia esquecida minha, e também fui para Inglaterra, fazer umas fotos por lá. Levei minha pequena ruivinha para lá também, e as nossas aventuras sexuais só aumentaram! 

Bom, volto a escrever mais por aqui, volto para escrever também mais sobre a Fernandinha, pois, já deve fazer mais de 6 meses que estamos nessa de Amizade colorida, e curtindo como dois jovens devem curtir a vida toda. 

Para (RE) Esquentar o blog, aqui vai uma bela de uma IMAGEM DA SEMANA!



E pra dar aquele gostinho bom na boca dos leitores que já estavam com saudades do Edgar aqui, um pequeno conto erótico:

O relógio marcou as 10:00 e eu ainda estava pelado deitado na cama, cansado por tantas viagens e tantas fotos do dia anterior. Olhei para a varanda e lá estava Fernandinha, parada, só de camisola olhando as ruas da Inglaterra. Ficamos hospedados em Londres por 11 dias. Os melhores dias foram quando acabamos de chegar, porque eu e Fernandinha não parávamos de fazer sexo mas nenhum minuto. 
Foi a primeira vez da garota fora do país, então foi também, além de um ótimo passeio de férias para ela, um intercambio pra ela aprimorar o seu inglês. Infelizmente tivemos que ficar pouco tempo em um pequeno bairro de brasileiros e ficar todo o resto dos nossos dias do lado de um hotel americano, mas o hotel em que mais ficamos e adoramos, e fizemos de TUDO (na mesa, no sofá, na cama, na varanda (vou contar) e na banheira) foi no St. Martins Lane. Aja paciência pra treinar o inglês da menina.
Me levantei feito um gato, o dia estava cinzento e o movimento lá embaixo estava alucinante. Agarrei ela por tras e ela pareceu prever que eu estava admirando-a desde o momento em que acordei:
_Acordou tarde, eu peguei café lá embaixo pra gente.
Beijei a nuca dela, e ela só de olhinhos fechados. Ainda com o cabelo espetado e a camisola toda amassada. Ela pousou a xícara de café de lado e agarrou meus braços que abraçavam seu corpo.
_O café é bem reforçado, tem pizza, croissaint, geléia... 
Eu comecei a interromper ela, nao queria comer, queria ela.

Meu pau estava teso, acordei com aquela vontade que só os homens entendem. Ela erguei a cabeça e me beijou. Estava com barba, mas mesmo assim ela rosou o rosto no meu. Sentiu meu pau teso na sua bunda. Como sou mais alto, preciso dar uma abaixadinha pra ficar bem a altura, e quando ela, ela adora empinar a bundinha. 

Continuei ali atras dela, beijando sua nuca. Cheguei no seu ouvido e comecei a lamber próximo ao buraco do seu brinco. Ela se arrepiou.

Empinou ainda mais a bundinha para mim, eu encaixei meu pau teso bem no meio da bundinha dela. A varanda do hotel era consideravelmente grande, e for analisar, já que ali do lado tinha uma poltroninha azul e verde, bastante chique. Segurei no quadril dela e me sentei na poltroninha. Ela ainda com a bunda empinada, colado no meu pau veio comigo e se sentou no meu colo. 

Eu estava de calça moleton, e ela apenas de camisola e calcinha, estava sentindo meu pau teso inteiro e com enorme volume.
Ela sorriu, apanhou a xícara, tomou um gole e pousou de novo, depois, disfarçadamente, colocou a calcinha de lado. Eu também, disfarçadamente (afinal, nunca se sabe quando estão te espiando no outro prédio ou nas câmeras da rua) tirei meu pau para fora da calça, agora, teso, enorme, grudado na bundinha deliciosa dela. 
Ela sorriu para mim. Eu encostei confortavelmente no apoio da poltroninha e esperei que ela fizesse todo resto. E fez. 
Com a calcinha de lado, ela pegou meu pau e começou a penetra-lo em sua xotinha. Sua xota estava seca, mas ela foi rebolando, rebolando, e a cabeça do meu pau foi entrando de leve. Ela apoiou seus dois braços nos meus joelhos, e eu, ainda segurando seu quadril, comecei a traze-la para mais perto do meu pau, entrando. 

A cabeça ja estava toda dentro. Com a mão direita comecei a alisar a sua bucetinha. ela ainda com as maos apoiadas no meu joelho, esboçou um gemido, e um "continua" para mim. 

Continuei massageando a sua bucetinha, segurei o seu clitóris pequenino com o dedo indicador e o do meio e comecei a massageado, apertando-o, em sentindo horário. Fernandinha foi delirando, e cada vez mais rebolando em cima do meu pau. Sua bucetinha começou a ficar molhada, e o doce barulho da sua bucetinha se abrindo foi surgindo aos nossos ouvidos. 

Ela começou a gemer um pouquinho mais alto, e a sua bucetinha foi se abrindo aos poucos em cima do meu pau. Aos poucos consegui ir encaixando meu pau dentro de sua bucetinha, já larga. Se não fosse larga o suficiente, talvez nem mesmo seria a minha amiga colorida de tantas fodas, e de todos os lugares. 

Entrou a bucetinha e continuei a masturbando. Nem ao menos percebemos, mas já não estávamos mais disfarçando a foda. Eu me flagrei segurando os seus seios, e ela me beijando. A minha mão estava na sua buceta, e eu tentando penetrar um dedo dentro dela junto com o meu pau entrando e saindo, com os movimentos da bunda dela. Ela começou a gemer, e o tempo começou a ficar mais quente para nos dois. Apesar do céu estar cinzento, aquela poltroninha estava fervendo. Alias, começou a fazer um barulho horrível que nos arrancou alguns risos, mas nada nos fez parar. 

Quando eu estava com a passagem para a Inglaterra comprada, Fernandinha me fez prometer que para nao nos atrapalhar em nenhum momento na viagem, ela passaria a tomar mais anti concepcional, para podermos largar a camisinha. Essa lembrança me veio a tona no momento em que comia a sua cona, e então comecei a dar bombadas mais fortes. Antes dela prometer isso, houve momentos em que eu a comia sem camisinha, mas me esforçava para gozar fora, e depois, ficávamos contando com a sorte. Dessa vez não. 


Cotninuei bombando nela, e ela gemendo ainda mais. Comecei a rezar para que ninguém das varandas ao lado ouvisse, ou se ouvissem, que não nos dedurasse para alguém do hotel. 




Pouco antes das primeiras pontadas para querer gozar, eu me levantei, fiquei em pé e trouxe a cabeça dela para mim pra a beijar. Ela continuou quente e rebolando, não queria parar com as metidas, não queria parar nenhum segundo de mergulhar a sua xota no meu cabeçudo pau. Ela me beijou e começou a olhar lá para baixo, na varanda, e a gemer. Não parava de gemer. Aquela sensação de meter com o medo de estarem te observando, ainda mais hoje em dia que se coloca tudo na internet é extremamente delirante. 

Por mim eu gozaria nela ali mesmo, em pé na varanda, mas, pensei na possibilidade de estarem nos observando. Isso para mim tudo mim, mas, poderia estar botando o rosto da menina em jogo, então a trouxe para a poltroninha de novo. 

Foi hora de gozar, gozar dentro da cona apertada da menina ruiva e cheia de amor pra dar. Ela delirou, rebolou mais no meu pau, adorando o meu gozo quente jorrando do meu pau e indo direto pra dentro dela. Ela sentiu aquele calor e deitou em mim, saciada. 

Eu continuei masturbando a sua buceta gostosa e vermelha, quando senti a minha porra descendo daquela buceta gostosa e molhada. Trocamos mais alguns beijos. Ela se levantou e toda a minha porra caiu no chão. Ela riu, e eu fiquei ainda mais excitado. Que cena linda de se ver.
Ela ajeitou a camisola para baixo, e eu escondi meu pau gozado para dentro da calça.
_Vamos tomar café bebê? 

--- 
Isso é tudo por hoje meus queridos leitores, espero que tenham gostado, e, se tiveram tempo para ler, não custa nada um tempinho pra comentar, certo?