Melhor Sex Shop virtual!

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Delírios de Edgar #7 (Especial: Garotas Nerds)


Olá pessoal, hoje acordei pensando em fazer um DELÍRIOS DE EDGAR ESPECIAL, mas, qual seria o tema?

Minha amiguinha colorida esta usando óculos agora, em homenagem as nossas eternas fodas durante as noites, dedico este DELÍRIOS DE EDGAR à ela! E o tema é GAROTAS NERD (que não deixam de ser sensuais).

Encontrei na rede esta nerd deliciosa, não tira o óculos nem pra chupar um cacete!

Uma puta de uma chupada de tirar o folego, com direito a uma espanhola pra lá de invejável!!! 

Melhor momento: 10:16: Subiu em cima, abriu as perninhas. O jeitinho que ela masturba o pau do cara, e chupa o seu cacete, é muito delicioso. Ela faz com vontade, faz com jeitinho! Eu não me aguento!

A mesma nerd, dessa vez, sorrindo pra câmera e fodendo de quatro! Sem perder a posse. 


Melhores momentos: 
7:00: Que rebolada é essa, o menino delirou!!!
9:50: Perdendo o folego com a foda gostosa, fica sem espaço pra respirar!


No colinho, no sofá, deitadinha e de ladinho. Essa menina sabe foder! 
Melhores momentos: 
1:55: Rebolada e pulinhos no pau teso! Assim que é bom.
8:35: Ela pede por mais, mas não aguenta, já esta perdendo o folego. O fodedor não deixa ela na mão!
9:35: Mesmo depois de gozada, ele continua metendo. Os gemidos dela soam como melodia pros meus ouvidos!

Este foi o DELÍRIOS DE EDGAR Especial: NERD! Só para vocês, meus lindos e maravilhosos leitores da web!

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Saindo com casal: Marcelo e Marcela #2


Boa noite queridos leitores.
Só tenho a agradecer todos voces pelo apoio, pelos emails e PRINCIPALMENTE pelos comentários no ultimo conto "SAINDO COM CASAL: MARCELO E MARCELA". Tais comentários me deixaram tao animados que pretendo voltar ao blog com mais contos e indo postando com mais frequência. 
Quero apenas que saibam que meus dias estão muito corridos, e é só por este motivo que venho aqui com pouca frequencia, mas, como já disse no IMAGEM DA SEMANA #12, as coisas estão para mudar! :)


Ok, como prometido, vou continuar contando sobre as minhas aventuras, dessa vez, o meu segundo encontro com Marcelo e Marcela.


---

Ficaria em Porto Alegre mais 3 dias. No meu penúltimo dia, sai com alguns amigos que fiz. Fomos na redenção, nos divertimos, tomamos um chocolate a beira do Guaíba. Foi quando o telefone tocou: Marcela.

Atendi correndo, e ela parecia estar animada:
_Edgar? Oi, ficamos de nos ver né?
_Sim, vou ir embora amanha, podemos nos ver hoje?
_Claro. Vou te passar o endereço de casa. Vem la pelas 21:00. Vamos deixar o portão aberto, a porta aberta, é só você entrar, ok?
_Ok.

Não entendi muito bem o que ela queria com aquilo. Deixar o portão, a porta toda aberta só para eu chegar. Ela me enviou o endereço da casa dela. As 19:00 fui para o hotel. Acertei a conta com a secretaria linda da recepção. As 20:00 estava de banho tomado e roupa vestida. Havia comprado camisinhas dessa vez.
As 20:30 já estava no taxi, indo para a casa de Marcelo e Marcela.

Cheguei no local as 21:05. Um pouco atrasado. Sai do taxi e fui para o local. Uma imensa casa, linda. Muros altos, portão de madeira envernizada. Empurrei o portão e ele realmente estava aberto. O fechei quando passei. Fui caminhando pelo jardim, muito bem feito, cheio de gnomos e grama cortada. Passei pela porta da casa, também estava aberta como o previsto. Uma mansão muito bem iluminada. Fotos do casal e da família logo na entrada da sala.
Fechei a porta e vi um bilhete escrito a mão, provavelmente letras da Marcela:

"Suba as escadas, segunda porta a direita!".

Subi as escadas, a segunda porta a direita deveria ser o quarto do casal.
E acertei de primeira. A porta estava aberta e Marcela estava gemendo. O barulho da cama se movendo fez meu pau acordar. Fiquei em alerta, eles estavam trepando. De repente, ouvi os gemidos de Marcelo, gemidos loucos de prazer.

Quando cheguei até a porta, presenciei algo que pensei que nunca veria.

Não era Marcelo cavalgando na Marcela, e sim o contrario. A esposa estava metendo ver no cu do marido, usando um pinto de borracha preso no seu strap on.


Marcelo estava deitado de barriga para baixo, e Marcela cavalgando em cima de suas pernas, penetrando um pau de borracha preto em seu cu peludo de homem.

Ela olhou para mim e não parou. Marcelo também me viu parado a porta e continuou gemendo. Assim como Marcela continuou cavalgando, gemendo e suspirando.
Ela estava suando de cansada.

_Tira a roupa Edgar, a gente ja vai começar.

Aquela frase me deixou um pouco frustrado. Não sabia se "começar" dela queria dizer que eu a foderia, ou se ela iria me foder. Comecei a tirar a roupa, vi que ela não parava de olhar para mim. Marcelo escondia o rosto no travesseiro a sua frente. Mas marcela continuava la, cavalgando em seu cu, agora laceado.


De repente, ela parou. Eu já estava nu. Ela se levantou, se ajoelhou na minha frente e começou a chupar o meu pau. Marcelo se levantou da cama e foi para o banheiro, talvez se lavar.

Ela ali no chão chupando meu pau, delirava, seus olhos se fechava, como se estivesse mesmo aproveitando cada segundo daquele sexo oral.

Eu estava delirando também com a sua boca no meu pau. Eu a avisei que desse jeito eu iria gozar. Ela sorriu, se levantou e ficou de quatro, empinando a bunda para mim. Ela não tirou o Strap on, queria que eu metesse com ele ali mesmo.

Apanhei uma camisinha no bolso da minha calça, coloquei e então botei o strap on dela de ladinho. Sua buceta estava molhada. O cheiro de sexo no quarto todo, o cheiro de suor de Marcela impregnado na cama. Mergulhei em sua buceta, comecei a meter loucamente. Ela gemia muito alto. Parecia estar mais a vontade na casa dela do que quando estávamos no motel a alguns dias atras.


Parei de meter por um segundo para controlar o meu pau e penetrar mais fundo, mas ela me dava bundadas, sem tirar meu pau de dentro de sua bucetona larga. Marcelo saiu do banheiro, de pau duro na mão. Ele estava se masturbando, veio para o meu lado, me cumprimentou botando a mão no meu ombro. Eu sem parar de meter em Marcelo o cumprimentei com a mão. Marcela sem falar nada, abocanhou o pau de Marcelo e começou a engolir. Chupando num vai e vem gostoso e selvagem.

Ela tirou o pau dele da boca e gritou para mim:
_MAIS FORTE EDGAR. MAIS FORTE.


Comecei a bombar com mais força. Segurei o quadril dela e comecei a meter mais e mais. Ela vinha me dando umas bundadas e eu segurando. De repente minha camisinha estourou. Quando dei uma de parar ela gritou:


_NÃO PARA, CONTINUA PORRA.

E continuou chupando o cacete de Marcelo. Não ia parar a foda ali para trocar a camisinha. Continuei bombando nela, minha camisinha fazendo o barulho de "VLAP-VLUP", e eu não parava. Ela delirando tirou o pau da boca e começou a chupar as bolas de Marcelo. Ele jogou a cabeça para o alto e começou a virar os olhos. Ele se deitou na cama e levantou as pernas, pude ver Marcela enfiar a língua no cu do marido. Eu continuava metendo, sem parar na buceta dela, as pontadas de uma gozada se aproximavam. Eu tirei meu pau e não segurei, jorrei a porra nas costas dela.

Ela olhou para mim decepcionada.
_Coloca o anel Edgar, pega ali na gaveta.

Peguei outra camisinha, continuei masturbando o meu pau para manter ele duro. Coloquei o anel peniano, apertando meu pau. Quando voltei para cama, Marcela estava enrabando Marcelo novamente. Ele estava de quatro na cama e ela comendo seu cu com o strap on. Ela olhou para mim e mandou eu comer seu cu.

Não pensei duas vezes.

Fui para trás dela, e ela me jogou um lubrificante em tubo. Passei no meu pau, passei no cu dela todo, e penetrei. Que delírio, que fascínio. Toda vez que ela bombava no cu do marido, ele gemia, ela gritava de prazer e eu sentia o seu cu apertar meu pau. E então, eu gemia.



Estávamos numa sincronia gostosa e harmoniosa. Marcelo parecia que nao ia aguentar, fazia caretas e seu rosto estava vermelho aguentando o borrachudo no cu. Marcela estava adorando, rindo a toa e gargalhando com a cabeça alta.

Eu comecei a beijar as suas costas, ela arrepiava. Continuava bombando no cu do maridão. De repente ele pediu para parar. Ela deixou ele sair de baixo dela, eu continuei em seu cu.

Marcelo veio atras de mim, fiquei com um medo terrível de que ele comeria minha bunda, mas na verdade, ele estava ali para chupar a buceta de Marcela. Ficou embaixo de nós.

De bônus  ele ainda massageava as minhas bolas, no vai e vem. Marcela começou a gemer ainda mais. Parecia uma puta cabrita gritando. Seu corpo todo arrepiado e seu cu muito apertado.



Seus gemidos começaram a ficar mais agudos, até que saltou do meu pau. Ficou deitada de barriga para baixo no colchão, com o cu abrindo e fechando, toda gozada.

Marcelo riu para mim:

_Acabamos com a vagabunda.

Olhei para meu pau, ainda faltava muito para eu gozar, afinal, com aquele anel peniano, nao conseguiria gozar tão cedo.

_Vamos continuar Marcelo, aqui ainda ta cheio.
Ele olhou para mim e começou a gargalhar.
_Vamo fodê ela amigão.

Ele se jogou para cima dela e tirou o strap on dela. Ela começou a rir, mas não se levantou. Apenas ficou de quatro na cama, com a cabeça ainda encostada no travesseiro. Abriu o rabo para que a gente entrasse.
Eu, ainda atras dela, comecei a enfiar na sua buceta, Marcelo ficou em cima dela, com a bunda na minha frente e enterrou o pau no cuzão de Marcela.


Ela começou a gritar com a dupla penetração. Eu e Marcelo entramos em uma sincronia adorável  assim como nós já tínhamos feito no motel antes. Marcela parecia estar sendo derrotada. Parecia que estávamos derrotando um dragão, ou um monstro que só é derrotado quando recebe estocadas na buceta e no cu ao mesmo tempo.




Ela começou a gozar no meu pau, enfiar e tirar de sua buceta estava muito fácil  muito leve e rápido. Eu conseguia meter mais rápido  Comecei a ficar com calor e comecei a meter ainda mais, sem parar, feito um coelho louco. Marcelo também não parava, do cu de Marcela começou a escorrer suor e gozo. Ele começou descadeirar a esposa.


De repente, quando pude olhar para ela, vi ela mordendo o travesseiro com muita força. Seu rosto vermelho de desesperado, muito prazer. Suas pernas começaram a tremer, mas nós dois estávamos punindo a vagabunda com estocadas cada vez mais fundas.

Até que ela berrou. E começou a gritar.

Gemidos fortes, grossos que ficavam agudos. Marcelo tirou o pau e gozou nas costas dela. Eu tirei meu pau de sua buceta e fui logo arrancando o anel peniano. Marcela saltou até o meu pau e começou a me fazer uma puta espanhola:
_Voce quer gozar? Voce quer gozar?

Acabei gozando no meio dos seus peitos, um jorro de porra que voou no seu queixo e na sua boca.
Marcelo foi logo beijando a mulher e lambendo a minha porra no seu queixo.

Eu estava acabado, derrotado e destruído  Marcelo se sentou na cama com o pau murcho, acabado e suado. Assim como Marcela, ficou ali deitada depois dos beijos do marido. Depois de alguns minutos sem ninguem falar nada, ela quebrou o silencio:

_Vamos comer algo? Quero repetir a dose depois do jantar.

Eu ri, e Marcelo também parecia estar feliz.

Fomos para a cozinha. Marcelo foi pelado, e eu me senti a vontade de ir pelado também  Marcela só vestiu uma calcinha fio dental e descemos. Jantamos um espaghetti delicioso com almondegas, e antes que eu pudesse terminar, Marcela ja estava se enfiando debaixo da mesa para chupar o meu pau.
Olhei para o lado e enquanto ela me chupada, ela batia uma punheta para seu marido, que ja estava com o pau duro.


Terminamos e deixamos os pratos ali mesmo, fomos para a sala, Marcela abriu as pernas para mim entrar na sua buceta de novo. Sua buceta estava molhada e larga. Com as pernas levantadas, eu fodi ela no sofá. Marcelo subiu em cima dela, na minha frente, novamente com a bunda para mim, e colocou o pau na boca de sua mulher. Ela ia abocanhando-o enquanto eu metia em sua esposa. Ela estava deliciada. Gozou rapido, e eu gozei logo em seguida. Quando desmontei da vadia, Marcelo gozou na boca de sua esposa gostosa.


Estava pronto para voltar para São Paulo.
No dia seguinte tentei contato com Rafaela e não consegui, infelizmente, mas estava feliz com as minhas aventuras sexuais com o casal mais fogoso que já conheci.


--- Aqui encerro as minhas aventuras em Porto Alegre, para quem chegou agora, segue os links: 

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Imagem da Semana #12 (Cavalgadas)

OLÁ MEUS QUERIDOS!

Vim aqui para me esclarecer, não teve postagem esta segunda feira, e olha só, já é quinta feira e só agora apareci por aqui. Primeiramente, peço desculpas por ter cortado o pique de uma postagem na semana, MAS, vim falar que estarei mais presente agora. PORQUE? oras, porque a Fernandinha esta fotografando ao meu lado agora, e então tenho mais tempo para o blog!

Por isso, vim agradecer a todos aqueles que não pararam com os emails e com os comentarios, PRINCIPALMENTE com os comentarios, que esta aqui visivel para todo mundo! Fico agradecido, isso me motiva e eu acabo escrevendo ainda mais. Já tem varios outros contos saindo do forno, mas, antes, é claro, vou continuar contando mais sobre MARCELA E MARCELO. Eeeeita casalzinho gostoso!!! 

SE PREPAREM, que lá virá a segunda parte das minhas aventuras com esse casal, em breve, em breve.
Por enquanto, segurem esta, e ótimo final de semana a todos:




Um IMAGEM DA SEMANA cheio de vibração e cavalgada para vocês! ;)


segunda-feira, 6 de maio de 2013

Saindo com casal: Marcelo e Marcela


Olá pessoal, voltei aqui hoje para continuar os contos eróticos sobre a minha viagem para Porto Alegre no mes de Março-Abril. Depois de ter curtido muito com Rafaela, chegou a hora de me encontrar com Marcelo e Marcela.

--

Mais um dia, e sem nada para fazer em Porto Alegre, como ja disse, meu amigo estava sem mais trabalhos como fotografo e a Rafaela, a ninfeta louca que estava comendo, teria algumas provas na faculdade e teria que estudar. Bom, eu ainda tinha a grana das fotos que havia tirado quando cheguei em porto Alegre, e o meu voo de volta para são Paulo ainda iria demorar, logo, liguei para Marcelo e Marcela, um casal que me contataram porque gostaram do blog, e queriam em conhecer.

_Alo? Este é o telefone do Marcelo?
_É a Marcela que esta falando, é o Edgar?
_Siim, eu mesmo. E então, vamos nos encontrar? 
_Claro, me desculpe não ter te ligado antes, o Marcelo esta te castigo...
Estranhei ela ter dito que ele estava de castigo, mas ela continuou.
_ Você sabe onde fica o restaurante Plaza? Podemos nos encontrar lá.
_Que tal as 20:00? 
_Perfeito Edgar, vo tirar o Marcelo do Castigo pra gente sair.

Estava combinado. Desci para a portaria do hotel e perguntei onde ficava este restaurante, soube que é um bem chique quase no centro. Quando deu as 19:00, peguei um taxi e fui até o local, a corrida não ficou tão cara.


Já estava no local, não fui bem vestido porque estava com poucas roupas, foi quando me lembrei das camisinhas. Se saíssemos dali e fossemos direto para algum motel, me faltaria camisinha. Um grande erro da minha parte. Quando pensei em sair correndo atras de alguma farmácia, vi logo um casal bem vestido chegando.


Marcela é alta e ainda usa salto alto, vestida com um casaco pesado e um vestido preto de noite, linda. cabelo amarrado, preto, pouca maquiagem e um batom vermelho, chamativo e provocante. Marcelo é pequeno, também bem vestido, com uma cara de rapaz simpático, mas extremamente submisso a sua dona.

Beijei o rosto de Marcela, apertei a mão de Marcelo e entramos no Restaurante, enquanto entravamos ela sussurrou no meu ouvido:
_Que bom que não apertou a minha mão, eu masturbei ele no caminho. 

Pedimos apenas salada, e já fomos conversando sobre o que estávamos ao certo fazendo ali.

_Olha, eu gosto muito que vocês sejam um casal assim, aberto, convidando pessoas como eu para ter uma noite alucinante.
_Sim Edgar, gostamos. Ainda mais que, só o Marcelo nao da no coro né.
Marcelo só abaixou a cabeça, nao falava muito.
_Voce é bastante submisso Marcelo, me conta, porque ficou de castigo?
_Edgar, ele ainda esta de castigo, e nao ta podendo falar. Eu respondo.
Ela se aproximou do meu ouvido e começou a contar:
_Saimos com um casal na semana passada, e tinha uma menina, ruiva, muito quente. Ela começou a chupar o Marcelo e ele gozou na boca dela. Até ai tudo bem, mas depois ele só ficava falando que ela era boa naquilo, boa naquilo. Acabou se esquecendo que EU sou a dona dele.
Olhei para Marcelo e ele só concordava, nao falava nada.
_Mas tudo bem Edgar, hoje quando voce me ligou eu ja tirei a presilha do pinto dele. Já deve estar voltando ao normal, ele ficou com o pinto preso por uma semana.
Me imaginei com o pinto trancado por uma semana. Com certeza eu nao conseguiria viver com a Marcela.

Comemos a salada, ela ia alisando a minha perna por debaixo da mesa, sempre que falava comigo. Conversamos sobre a vida, ela sobre o trabalho dela, e eu sobre o meu. Conversamos sobre Porto Alegre e São Paulo. Parecia até que só estava eu e ela ali na mesa, ja que Marcelo nao podia falar nada.

Ela se cansou:
_Vamos pro motel vai, quero foder com voces dois.
_Só um probleminha, eu esqueci de comprar camisinhas, podemos passar numa...
_Que isso, eu mesmo tenho as camisinhas Edgar, fique a vontade.

Me senti mais tranquilo depois de ouvir isso. Nos levantamos, Marcelo pagou os pratos e fomos para um motel. Não sei bem o nome e nem a localização. No caminho para o motel, Marcela pediu para eu ir masturbando-a.


Eu fui sentado no banco do carona, ao lado de Marcela, que dirigia, e Marcelo no banco de trás, parecendo um cachorro. Primeiro ela pediu, eu coloquei a minha mão na sua coxa. Pernas enormes, bem coxuda. E ela, com a mão direita, mudou a marga e agarrou minha mão, colocou para o meio das pernas dela. Senti alguns pelinhos da buceta. Ela estava sem calcinha. Comecei a masturba-la. Ela parecia estar começando a gostar. Disse que estava começando a ficar molhadinha. Continuei ali masturbando-a. Chegou uma hora que ela soltou alguns gemidinhos gostosos de se ouvir. E então chegamos no motel.


Ela mesmo pediu o quarto, fomos para a vaga de estacionamento, bem em frente ao quarto. Descemos. Trancou o carro e entramos. Ela abriu a porta, ela acendeu a luz e só pediu para o ultimo trancar a porta.

Logo que eu passei, e Marcelo entrou, ele trancou a porta, e Marcela ja foi tirando o vestido. Jogou o casaco longe, e estava só de sutiã, que também tirou em segundos. Estava completamente nua, na nossa frente.


Marcelo começou a tirar a roupa tambám:
_Ah, Marcelo, voce vai ficar nu, e só assistindo. QUAAANDO eu quiser que voce entre, voce vai entrar.


Ele só concordou com a cabeça.

Ela tirou de sua mini bolsa um pacote de camisinhas e dois anéis penianos. Jogou um para mim e pediu para que eu colocasse. Subiu na cama e ficou de quatro, empinando aquele cu enorme para mim. Comecei a me despir com velocidade. Como ela não queria brincar, eu também não ficaria brincando: Ia partir pra foda logo.

Tirei a roupa, meu pau teso apontava para a gostosa, peguei uma camisinha e ela se virou para mim. Sacou a camisinha da minha mão e foi colocando com a boca. Como uma tremenda de uma puta. Colocou a camisinha com muita calma, sem pressa, abocanhando o meu pau todo. Depois começou a chupar ele todo. Tocando a lingua nas minhas bolas, me deixando louco. Quando viu que eu estava delirando, deu uma atenção especial para a cabeça do meu pau, sugando ele todo.


Olhei para o Marcelo, ele estava de joelhos no chão, ao lado da cama, só assistindo tudo, com as duas mãos no pinto, se masturbando.


Ela ficou de quatro de novo, e esperou que eu entrasse. Primeiro, mergulhei naquela buceta, comecei a chupar aquela xoxota toda deflorada, muito fodida. Puxei a pelinha que sobrava com os dentes, e comecei a fazer sucção no grelo gostoso dela. Meu nariz esfregava seu cu, cheirando a flores, e ela começou a gemer. Bem de leve, gemidos gostosos que ia me empolgando cada vez mais. Meu pau latejando, eu PRECISAVA enfiar meu pau naquela buceta deflorada.



Comecei a enfiar a minha língua naquela buceta. Uma buceta larga, foi logo se abrindo para mim. Ela continuava de quatro, e de bunda empinada para mim, me convidando. Ela não queria papo, queria mesmo foder. Sua buceta estava molhada, tanto da minha saliva quanto da bucetona agora aberta. Comecei a passar a língua no cu dela. Um cu tão bem cuidado, apertadinho. Preto de tanto uso.

Cheirava a leite de rosas, e isso me excitou. Era mesmo um cu bem cuidado. No minimo ela passou a tarde toda limpando o cu pra levar ferro agora de noite.

Fiquei de joelhos na cama, atras dela, e comecei a penetrar o meu pau. Antes, ela pediu para eu colocar o anel peniano. Me sacrifiquei, coloquei o tal negocio, aperta MEESMO qualquer veia do pau. Mesmo se eu quisesse gozar, não conseguiria.
Olhei para o lado e Marcelo também estava colocando. Ele estava se masturbando com mais velocidade, e começava a babar, feito um tarado.

Enfiei meu pau na bucetona larga de Marcela, ela deu alguns gemidinhos quando sentiu todo o meu pau entrando na sua buceta. Era o puro prazer do pau na buceta larga e arrombada.
Deitei sobre ela, de barriga pra baixo, e segurei seus seios. Comecei a beijar a sua nuca, e ela foi se arrepiando. Disse que gostava disso, e que eu tinha que continuar.

Comecei a mover meu quadril depressa, metendo. Entrando e saindo daquela bucetona larga. Cada vez  mais molhada, cada vez mais molhando meu pau, e cada vez mais deixando ele entrar e sair mais rápido. Com mais velocidade.
Seus gemidos começaram a aumentar. Ela gemia bem do lado do meu ouvido. Meu pau endurecia a cada segundo que entrava dentro dela.

Nao parava de bombar, ela começou a gemer mais alto, a abrir a boca para gemer. Até Marcelo, ali, no chão, batendo uma punheta, começou a gemer alto junto da dona.


Quando ela começou a soltar gritos maiores, e eu, que não parei de meter na sua buceta nem um pouco, ela pediu para se virar. Ficou de frente para mim. Papai e mamãe. Ela ia rebolando o quadril, e eu indo para frente e para trás. No final, meu pau e a sua buceta se encontravam. Eu sentia os pequenos pelinhos da sua buceta se encostando nos pelos do meu pau.


E aquilo me deixava louca. Olhei para ela, e ela olhava para mim. Penetrava seus olhos em mim. E gemia, com a testa franzida e a boca bem aberta. Cada vez mais.

_Marcelo, ajuda o Edgar.

Marcelo se levantou, foi para tras de mim e começou a massagear as minhas bolas. Achei um pouco estranho, mas a sensação foi otima. As mãos delicadas de Marcelo me deixou arrepiado. Sensação gostosa. Continuei metendo na eposa dele. E ele só gemendo, querendo me ver mais. De repente sussurrou atras de mim:
_Come o cu dela Edgar. Come o cu dela.

Marcela ignorou que seu marido havia quebrado o castigo. Ela tirou o meu pau de dentro de sua buceta e começou a chupa-lo. Chupou meu pau loucamente. De repente, ficou embaixo do meu pau, e começou a chupar as minhas bolas.




Eu deitei sobre ela, num deliciosa 69, e comecei a chupar a sua buceta. Passando lambidas longas na sua buceta e no seu grelo. Seu grelo estava vermelho e sua buceta tremendamente molhada. Comecei a enfiar a minha língua dentro da sua buceta.

Percebi que Marcelo continua massageando minhas bolas. Quando ele parou de massagear, ela chupava, fazia sucção em uma delas, e depois beijava o meu cu.


Isso me arrepiava.

Eu comecei a retribuir, lambendo mais a sua buceta, começando do clitoris e parando no cu. E comecei a passar lambidas mais longas no cu dela tambem. O cu estava se abrindo, como se estivesse com apetite voraz para receber ferro.

Ela pediu para eu descer. Ficou de pernas abertas e chamou o Marcelo.
_Descansa Edgar. Vem Marcelo.


Marcelo pulou em cima da esposa, e começou a meter em sua buceta. Loucamente, sem parar, parecendo estar brincando de coelho. Ela começou a gemer. Mas continuava olhando para mim. Eu fiquei ali na cama mesmo sentado. Só observando.


Ela me chamou, fiquei ao lado dela e ela começou a chupar o meu pau.

Marcelo ficou atras dela, metendo de ladinho, e ela abocanhando o meu pau. Enfiando ele todo dentro de sua goela. Eu sentia que queria gozar, mas aquele treco apertando meu pau, eu nao conseguia.


Ela viu que eu ja estava franzindo a testa de vontade gozar. Tirou meu pau da sua boca e empurrou Marcelo para fora da cama. Pediu para eu ficar no lugar dele. Me deitei atras dela e, com o pau na mão, ia colocar na sua buceta. Mas ela colocou seu cu em cima da cabeça do meu pau. Nem questionei. Comecei a apertar a cabeça do meu pau para dentro do cu, ja aberto de Marcela.

Ela começou a gemer feito uma puta. Continuou olhando para mim e me pediu um beijo. Comecei a beijar ela de lingua, beijos demorados e cinematográficos. Marcelo ainda no chão, sem nada para fazer, continuou se masturbando.

_Marcelo, vem.


Marcelo saltou para cima da cama novamente. Ela subiu em cima de mim. Amarrou o cabelo para eu nao ficar com o cabelo na cara. Colocou a sua cabeça bem ao lado da minha. Enquanto Marcelo, em cima de sua esposa começava a meter em sua buceta larga e molhada. Eu tentava penetrar cada vez mais fundo dentro do seu cu. Marcela, molhadinha, e até mesmo o seu cu estava escorregadio. Ela se virou para mim e continuamos nos beijando. Marcelo estava agora mordiscando seus peitos. Eu comecei a apalpa-los. Ele gostou da ideia, eu apertava um bico do peito e ele mordia o outro.


Quando eu não estava com a minha língua entrelaçada com a língua dela, ela estava gemendo alto, na minha frente.

Eu não havia comido o cuzinho de Rafaela, mas estava dentro daquele cu gostoso de Marcela. Me deixando cada vez mais louco.



Eu e Marcelo continuamos metendo loucamente sem parar na potranca. Ela foi gemendo cada vez mais alto. Começou a segurar a minha bunda, e a apertar. Começou a unhar, e eu fui metendo ainda mais fundo naquele cu gostoso. Ela de repente pediu para parar. Marcelo saiu de sua buceta e eu tirei meu pau do cu. Ela se virou para mim e começou a me beijar. Meu pau estava duro, e quase roxo. O anel peniano estava me apertando. Mas era bom, nao conseguia meter, e parecia que estamos mesmo saciando o desejo daquela gostosa. Depois de um beijo longo e demorado, ela foi colocando o meu pau em sua buceta, e Marcelo grudou em sua bunda, para fuder seu cu largo.


Metemos por mais um bom tempo, eu metia, e quando recuava o pau sem tirar de sua buceta, Marcelo metia o pau no cu dela, quando ele recuava o pau sem tirar do cu, eu enfiava com tudo na buceta. E ficamos nesse vai e vem sincronizado por muito tempo. Ele gemia, e lambia o ouvido de Marcela. Eu beijava ela sem parar, e ia apertando seus seios sempre que dava.

Ele começou a gemer alto, e então ela pediu tempo de novo.

Dessa vez, pediu para eu e Marcelo tirar o anel peniano.

Senti um alivio milagroso no pau. Ele tambem, gemeu de alivio. Ela abriu bem as pernas para nós dois, em pé na frente da cama. Sua buceta inchada, vermelha, molhada e deflorada. Seu cu ainda estava largo e escorrendo lubrificante. Ela então ficou de quatro, pediu para o Marcelo se deitar embaixo dela, e eu iria foder o cu novamente. Trocamos de camisinha para dar aquele recomeço delicioso.

Marcelo se deitou, seu pau ereto, parecendo uma lança. Ela em cima de seu pau, começou a rebolar lentamente, até entrar ele todo. Sua buceta larga era tao deliciosa que eu nao consigo parar de pensar nela. Era tao fácil penetrar naquela buceta, que senti inveja de Marcelo na hora.


E eu, montei nela por trás, penetrando lentamente em seu cu. Também sem esforço nenhum, com uma unica estocada eu já estava dentro dela. Marcelo não se movia, apenas ficava segurando a bunda enorme de Marcela pra me ajudar na penetração dentro do cu de sua esposa.




Fomos bombando gostoso na potranca, que gemia feito louca.

Delirava seus olhos, abria sua boca e continuava rebolando, ora sendo penetrada na buceta e ora no cu, maniaca, compulsiva por sexo. Chegou o momento em que seus gemidos se tornaram gritos, e ela começou a pedir para parar. Mesmo pedindo para parar, eu continuei bombando em seu cu. Marcelo ficou paralisado embaixo dela vendo que eu não respeitei o que ela havia pedido. E ela mesmo pedindo para parar continuou gemendo de prazer e loucura. Senti seu cu apertar meu pau indicando que havia gozado. Só dai então eu tirei meu pau de seu cu. Eu estava prestes a gozar. Ela desceu de cima de Marcelo e se deitou. Pediu para nós dois tirarmos nossas camisinhas e botar na boca dela.


Ela apanhou os nossos paus e começou a chupar os dois ao mesmo tempo, ora virando-se para mim e ora virando-se para ele. Quando estávamos quase gozando, ela pegou os nossos paus e começou a encostar uma cabeça na outra, e ia lambendo aos pouquinhos, feito louca. Nós dois gozamos em sua cara, pouco na sua boca. E ela continuava passando nossas cabeças uma na outra. Sensação gostosa foi aquela.



Depois de gozados, e exaustos, ela foi para o banho. Marcelo só ria, me agradeceu pela foda espetacular, e disse que antes de eu voltar para São Paulo, tínhamos que nos encontrar novamente.

É claro que concordei.

Quando ela saiu do banho, disse que eu teria que ir na casa deles, e que eu ja era da família  depois de uma foda gostosa como aquela.

Deixe seu comentário, caro leitor! :)