Melhor Sex Shop virtual!

sábado, 26 de janeiro de 2013

Marylin e Monica, swing em Ubatuba (Parte 1)


Olá caros leitores, 
Hoje estou aqui revivendo uma personagem que já apresentei, a Marylin, uma prostituta de luxo daqui de São Paulo, no qual sou eu que faço as fotos para o book do site. Fundindo também com outro conto que contei a pouco tempo, "Menage a trois, com Caue e Priscila", mas, quero falar mesmo mais a respeito de Caue. 
No conto ""Menage a trois, com Caue e Priscila"", falei que Caue havia sigo pego pela namorada com a amante, então, hoje falarei respectivamente sobre ela.
Enfim esta é a pequena introdução ao Conto Erótico que você esta prestes a ler. Espero que gostem do conto.



Marylin, como já disse aqui, é uma amiga, e prostituta. Vira e mexe ela esta louca pra trocar as fotos do seu site pessoal, onde tem alguns videos de striptease onde vende o seu corpo, e o seu fotografo pessoal e preferido, sou eu.
Foi já alguns tempos que ela queria atualizar as fotos de seu site, e queria fotos na praia, onde poderia usar o biquíni de forma sexy pra enfeitiçar seus companheiros (ou melhor dizendo, clientes). Logo, a convidei para ir comigo para Maranduba, uma praia no litoral paulista, a minha preferida, fica em Ubatuba. Ela topou logo de cara, e desde que fiz o convite para a mesma, ela ficou me ligando de hora em hora para eu combinar o dia e horário.
Mas, antes de simplesmente partirmos, fiquei de armar uma peça com o meu amigo Caue. A alguns dias atrás havíamos fodido uma prostituta de arrepiar, Priscila, e, desde então ele tinha me enviado alguns emails cheios de putaria, e no final sempre colocava: "PS.: Adorei aquela puta, tínhamos que sair de novo com ela".

Liguei para ele, ele estava no horário de almoço do seu serviço, e fui logo contando as novidades:
"Fala Caue, tenho um convite, to com uma namorada nova, gostosíssima  que ta afim de ir pro litoral pra tirarmos umas fotos, ta namorando?"
E ele: "Sim, minha namorada também é bem gostosa, conheci ela na academia".
Era isso que eu queria ouvir: "Topa um Swing? Troca de casais?"
Caue riu: "E porque não?"

Ri quando desliguei, iria comer Marylin a troco das fotos, e ainda por cima iria comer a namorada do Caue, meu amigo de fodas! Quando liguei para ele, já sabia que ele estava namorando, afinal, ele perdeu a namorada e a sua amante, a gostosa da academia passou a ser a sua atual namorada. E tambem sabia que ele toparia fazer um swing, afinal, Caue adorava era estar fodendo, seja lá quem fosse, mas comigo por perto. Ele gostava de compartilhar esse momento mágico de fodas, o cheiro de sexo, e as gozadas junto de alguém.

Enfim, fiquei a noite toda imaginando como seria o nosso encontro, e nas palavras que Caue disse ao topar o Swing comigo e com a minha "suposta" namorada.

Só mais tarde descobri que seu nome era Monica, uma negra com seios firmes, empinados, uma bunda de tirar o folego, corpo violão, lábios carnudos, cheios de graça. Cabelo todo encaracolado, uma negrinha deliciosa.

Esperamos a semana passar, Caue conseguiu folga no sábado e no domingo de onde trabalhava, e eu aluguei um hotel para nós quatro. Detalhe, apenas um quarto com duas camas.

Partimos logo de manhã no sábado, Marylin havia dormindo no meu apê na noite passada, desde ontem já estávamos trocando algumas ideias loucas do que inventar para Caue e a namorada. Acabamos com uma garrafa de vinho, algumas pizzas e fomos para a cama aquecer os nossos próximos dias.

Metemos gostoso até cerca das 2 da madrugada. Passei na casa de Caue, la estava sua namorada, a negrinha gostosa. Fiquei boquiaberto vendo a namorada de Caue, nos conhecemos, me apresentei, ela tinha uma voz linda apesar de tudo. Marylin até brincou: "Limpa a baba".


Maranduba - Ubatuba
No caminho para o litoral paulista, fomos conversando coisas bem distraídas ao som de Zé Ramalho e Raul Seixas, quando começamos a descer a serra surgiu o assunto sobre o swing. A Marylin agitou mais do que eu e o Caue juntos. Começou provocando no psicológico: "Caue, tu não vai me aguentar não rapaz, vai querer é fugir pela janela".

Monica ria, no fundo a negrinha era bem safada, começou a perguntar sobre as minhas fantasias sexuais, e a perguntar se no swing de hoje a noite ia valer sexo oral e anal.
Ali no carro acabaram, ela e o Caue contando que faziam sexo anal sem menor pudor, até mesmo estavam levando KY caso a noite fosse longa. Já começava a me excitar. Marylin do meu lado, no banco do passageiro, também começava a se animar com a ideia da troca de casais. A nossa interpretação de namorados estava ótima  ate mesmo estávamos usando alianças nos dedos da mão direita, alianças que eu tinha guardado desde o tempo de outras namoradas.
Começamos a inventar de que para nós o sexo anal também não seria problema algum, poderíamos rolar a noite toda fazendo a suruba, sexo vaginal, anal e claro, se não tivesse sexo oral nos momentos vagos, não seria swing.

Chegamos no litoral, fomos para Ubatuba, passamos pela Maranduba, e fomos direto para o Hotel. Nem quisemos ver a praia, queríamos mesmo era saber como seria o quarto, e onde cada um ia trepar. Entramos no quarto, uma televisão, porta para varanda e duas camas bem arrumadas com lençol branco. Jogamos as malas no chão, e fui abrir a porta da varanda para conferir a paisagem. Marylin me acompanhou, troquei beijos quentes com ela, para fingir que eramos mesmo namorados. Quando voltamos para o quarto, demos de cara com Caue atrás de Monica, ela com o short branco largado no chão, e Caue segurando seu quadril, mandando ver na sua bucetona freneticamente, uma rapidinha de 3 minutos. Gozou gostoso, espalhando a porra pela bunda da negrinha safada.


Ambos olharam para nós dois: "Você aproveita essa bunda aqui de noite amigão", Caue me disse sorrindo, e limpando o suor da testa.

Olhei para Marylin e falei bem baixinho: "Ele esta louco por ti".
Marylin é o tipo de mulher que todo homem quer ter, pernas longas, coxas lindas, quadril perfeito, sem nenhum pneuzinho. Seios fartos, deliciosos, caprichados. Cabelo liso, preso, grande, bem iluminado vivo e com brilho. Sempre usando tamanco ou salto alto, sempre com brilho nos lábios, bem deliciosos. Olhos penetrantes, sempre com sorriso de safada, fogosa. E, com o passar dos minutos, quando as garotas começaram a tirar as roupas e a colocar o biquíni  eu e Caue fomos botar umas roupas mais largas, ele comentou que estava louco para foder a minha namorada. Disse para ele ter mais respeito comigo, mas que entre amigos tudo estaria certo, mas por dentro eu estava rindo, ele iria comer uma puta, e eu a namorada dele.

Fomos para Maranduba, dia ensolarado, sábado animado, cheio de gente caminhando e pulando pelo mar. Nós quatro fomos apenas com o que estávamos vestindo, não levamos celulares, nem bolsas e nem protetor solar, fomos apenas para enfiar o pé na areia e ver a bela paisagem. Fiquei grudado com Marylin, como se fossemos namorados mesmo. Ela de óculos escuros olhando o horizonte, com aquele corpão e um micro biquíni, fez sucesso. Todos os homens que passavam por nós olhavam para ela. Alias, para ela e para Monica, com aquele rabo nervoso, imenso, delicioso, e um micro biquíni branco, nós quatro ali parados olhando a paisagem fazia mesmo sucesso.

Caminhamos um pouco mais, chegamos até um ponto afastado, onde Caue e Monica começaram a namorar, trocaram alguns beijos quentes entre si. Eu e Marylin estávamos era procurando um bom lugar para bater as fotos amanha pela manhã. Já devia marcar meio dia no relógio. Fomos para o restaurante mais próximo do Hotel, e depois do almoço ficamos de bobeira na piscina, próximo ao nosso quarto.

Na água, pude agarrar Marylin de jeito, masturbei ela disfarçadamente enquanto ficamos no canto da piscina. Conversamos bastante ali também, afinal de contas, Marylin só havia virado puta para pagar a faculdade, então, apesar da profissão, ela é uma otima amiga e boa de papo. Caue e Monica ficaram apenas sentados na borda, também conversando trivialidades sobre sexo.


Quando marcou 16 horas no relógio o casal já estavam doidos. Caue chegou em mim e me disse que Monica já estava louca para experimentar a troca de casais. Sorri para Marylin, iriamos para o quarto e sairíamos só de madrugada. Passei na recepção, peguei telefones de lanchonetes e disk pizzas para não precisarmos sair de noite. Combinamos que ficaríamos lá no quarto, e o que acontecesse lá dentro ficaria lá dentro. Entramos nós quatro, trancamos a porta e fechamos as cortinas: Era hora do Swing.

EU E MONICA
Fui para cama da direita com Monica, ainda de biquíni branco, só pra provocar.

Na cama da esquerda saltou Caue, tirou a sunga de maneira relâmpago  e Marylin foi subindo em cima do tarado, socando-lhe um beijo na boca. Eu tentei me concentrar apenas em Monica, a negra safada e deliciosa. Ela deitada na cama, abriu as pernas para mim poder entrar. Sorri, era bom demais pra ser verdade, ela era linda, gostosa, fogosa e safada. Beijei ela, enquanto fui passando meus dedos em sua xota. Masturbando-a por cima do biquíni. Coloquei o biquíninho dela de lado e continuei masturbando-a, ate colocar um, dois, três dedos dentro de sua xana. Ela começou a gemer, segurou meu pau por cima da sunga e começou a alisa-lo, devagar.

Deitei por completo, continuei masturbando a negrinha, aquela xota deliciosa, deflorada e fodida pelo Caue e pelos outros homens que já a comeram da academia. Monica tinha um corpo bem malhado, fazia jus ao local onde se conheceram, bunda durinha, abdômen malhado, definido. Tirei minha sunga e ela segurou o meu pau, firme com a mão toda. Começou a me masturbar mais violentamente. Pedi para ela ficar de lado, me obedeceu parecendo uma puta.

Caue do meu lado gritou: "Mais respeito com a minha mulher heim", mas foi interrompido por um beijo de Marylin, já pelada em cima dele.


Aquela bunda de Monica, enorme virada pra mim, passei o meu pau pela bucetinha dela, comecei a massagear a entrada da buceta e o clitóris dela com o meu pau, sem pressa de terminar aquilo. Me aproximei do ombro dela, comecei a beijar para faze-la se arrepiar. Ela virou o rosto para mim, e começou a me beijar, trocamos beijos demorados enquanto eu continuava esfregando o meu pau em sua xoxota, até começar a penetrar. Entrou a cabecinha com dificuldade, o restante foi fácil, ela ja estava molhada, e sua buceta não era lá tão apertada assim. Monica tinha uma buceta larga, não tao apertada como das ninfetas que já deflorei anteriormente, seus lábios vaginais saltados para fora, muito molhada, uma deliciosa negrinha. Seu cabelo parecia um travesseiro onde estava com a cabeça apoiada. Aqueles seios de bicos escuros começaram a me excitar ainda mais. Comecei a meter lentamente naquela buceta, abrindo bem a bunda dela, consegui olhar para o cuzinho preto dela, me excitando cada vez mais com tudo de diferente que ela tinha em seu corpo. Adorável Monica, começou a gemer e a seguir o meu ritmo.

Começou aumentando a velocidade de seu corpo, e me dando bundadas para eu continuar com as bombadas e com as metidas, demonstrando ser incansável.



Ela começou a gemer um pouco mais alto, e eu continuava comendo ela de ladinho, e ela demonstrando gostar. Passei uma mão para o seio dela, e a outra para o clitóris, e ela começou a gemer ainda mais.

A negra incansável de repente parou, senti contrações em sua buceta, que esmagaram o meu pau. Ela, sem tirar o meu pau de dentro dela, subiu em cima de mim, me sentei na cama e ela começou a cavalgar, sem parar, num maravilhoso frango assado com ela em cima de mim. Cavalgava sua xota molhada, gozada, cheirosa, deflorada no meu pau, dentro dela, pulsando, gozando, delirando cada vez mais. Agarrei seus dois seios, e ela começou a se masturbar, enquanto meu pau dentro dela a explorava, ela passava suas mãos com uma velocidade incrível pelo clitóris, parecendo que queria arranca-lo dali.
Ela começou a gemer feito louca. Na outra cama Caue gemia, gritava o nome de Marylin, dizia que aquela buceta era foda, e que queria comer ela com tudo que podia. Quando olhei para o lado vi Marylin rindo, vermelha e as gargalhadas das bobeiras que Caue dizia na cama.

Eu já estava deliciado com a minha brincadeira de improvisar um swing, e entendi muito bem o como aquela negrinha havia feito Caue trair a sua namorada de tantos anos, ela era uma Deusa, uma tremenda de uma potranca que sabia foder gostoso. Ela mexia a bunda de um jeito frenético, subindo e descendo, meu pau chegou a escapar em certo momento, mas ela nem ligou, pegou ele com a mão e o encaixou perfeitamente na buceta, sem demora, sem lenga lenga. A negra era louca por piroca.


As agulhadas de uma boa gozada já estava surgindo, saindo do meu saco e subindo pelo meu pau. Falei para ela que iria gozar, ela saltou do meu pau, se deitou debruçada na cama e ficou em cima de minhas pernas. Agarrou o meu pau, tirou minha camisinha com facilidade e começou a chupar o meu saco, sem parar de me masturbar. Colocou as duas bolas na boca, passou a sugar apenas uma, e depois foi subindo a sua língua devagar pelo meu caralho todo, quando chegou na cabeça, segurou meu pau com a mão firme e começou a colocar e a tirar ele de dentro de sua boca, abocanhando ele até a metade. Acompanhando a porra que saltou pra fora, um jarro de porra na cara de Monica. Ela deliciada pegou a porra com os dedos e foi colocando na boca, como se fosse macarrão.


CAUE E MARYLIN

Subiu na cama e tirou a sunga, logo em seguida Marylin subiu em cima de Caue, beijando-lhe a boca. Ele, sem pensar nela nem um pouco, já segurou seu quadril e começou a tirar o seu biquíni. Como de costume de uma puta, ela tirou a parte de cima e já estava pelada. Se sentou em cima do pau de Caue e começou a deslizar. Com aquela buceta larga e fodida que tinha, não deve ter sido difícil encaixar o pau de Caue ali dentro. Embora o pau de Caue fosse grande, Marylin deu alguns gritinhos de prazer. Apoiou os braços por cima do ombro do macho e começou a cavalgar a sua bucetinha no pau dele, cavalgando feito uma verdadeira puta. 

Caue começou com os barulhos, gemidos e suspiros. Quase sempre ficava no "AAAAAAAAAAAAAAH" ou no "Que bucetinha gostosa, da ela toda pra mim da? da?", como nos filmes pornos brasileiros. Mas chegou a comentar umas duas vezes no ouvido dela: "Que bucetona larga você tem heim, como você gosta que o Edgar faz heim? Ele te fode com um cabo de vassoura é?"

Cansado de ter Marylin em cima dele, cavalgando, ele a jogou para baixo, olhou como Monica cavalgava em mim na cama ao lado, e voltou a olhar para Marylin, com toda concentração naquela tesuda.
Agora, ele em cima da potranca, colocou as pernas da gostosa em seus ombros, deixando sua buceta deflorada e gorda, virada para cima, e começou a penetrar. Metendo com vontade, sem parar.
Caue continuava gritando, gemendo, babando. Seu pau grande subindo e descendo, saindo e entrando da buceta deliciosa, quente, gozando de Marylin. Ela rindo das gritarias de Caue, rindo dele com o olhar franzido e babando pela boca, dizendo que aquela buceta era foda, e que queria comer com cada centímetro do pau.

Ele acabou gozando dentro da buceta de Marylin, óbvio, de camisinha.
Ele tirou o pau gozado dali de dentro, logo, Marylin deu a apresentação do que sabia fazer, uma boa chupeta.

Agarrou o pau de Caue e começou a chupa-lo, com vontade, fazendo garganta profunda, colocando a cabeça do pau gozada dele la na goela, vem fundo até onde o pau dele poderia entrar dentro de sua boca. Ela continuou chupando-o, para cima, para baixo, com vontade, com fervor. Excitante.

Depois da trepada de ambos os lados do quarto, Caue ainda indagou: "Calma, ainda tem mais ne?"

... continua

---
Se gostaram, deixem um comentário, tem muito mais ainda, então, guarde o fôlego para a parte final desse Swing maravilhoso!
PS.: Peço mil perdões por não ter colocado gifs de mulheres negras, acontece que fiquei com esse conto nos rascunhos por algumas semanas pra procurar na internet gifs de negras fodendo e não encontrei nada... Caso encontre, substituo aqui na postagem, ok?

4 comentários:

  1. k aventura, hein?! ;)
    Traio meu namorado c/ garotos de programa, já que eles fazem o que akele inútil não faz!
    Num diga que foi sua primeira vez com uma mulher de cor?
    Meu namorado diz que minha pussy é apertada em demasia e mais quente que as outras - o coitado sai com o pinto pegando fogo e me sinto complexada!Tadinho!!

    p.s.: tu não achas fotos de mulheres negras poraí porque os homens brasileiros não nos acham sensuais! Já me apaixonei por tantos que não me quiseram...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá mocinha, desculpa tanto tempo para poder te responder, acontece que o tempo nao anda me ajudando. Esta nao foi a minha primeira vez com uma mulher de cor, ja havia feito antes com uma amiga, tao fogosa quanto. E, UAU, trai teu namorado com garotos de programa? porque faz isso? Pode me ligar, estarei sempre disponivel para ir ate o motel da sua preferencia para fazermos o que o teu namorado nao faz! :P

      PS.: Não entendo o motivo pelo qual nao encontro gifs interraciais. Na verdade encontro, mas sempre de um negão traçando uma branquinha, e nunca de um branco traçando a neguinha. Eu acho negras atraentes e sensuais. É que nao me aparece nenhuma na minha horta, SE NÃÃÃO...

      Excluir
  2. Nossa querido estava com saudades dos seus contos. E esse foi maravilhoso, e ainda tem mais! Que bom, não vejo a hora de ler a continuação. Pareceu ser uma experiência muito excitante hein, como e gostaria de poder fazer isso um dia, dar para um amigo do meu namorado, até já sei qual eu quero! Beijos e Saudades

    ResponderExcluir
  3. UAU, OI MANUELA! QUE SAUDADES ESTAVA EU DE TI!
    Hmm, sim, foi uma experiencia otima!!! Ainda trarei aqui a segunda parte dessa festança toda, é o tempo que nao me permitiu voltar a atualizar o blog ainda!

    E, oras oras oras, como eu queria ser amigo do teu namorado depois de ouvir esse teu desejo!!! Adoraria me acabar colocando um parzinho de chifres na testa dele, meu dels!!! Linda, volte sempre!!!

    ResponderExcluir