Melhor Sex Shop virtual!

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Fodendo a Japinha timida


Grandes Caros leitores, hoje, conto para vocês sobre uma pequenina e timida namorada que tive, uma japinha bem deliciosa e com uns gostos bem estranhos, espero que curtam.

Em são Paulo, fui convidado para tirar fotos em um Evento de Anime, que aconteceu em Julho, se não me engano era o Anime Friends, grande evento na America Latina. Ia me render um bom dinheiro então eu fui. No domingo, dia de maior febre e cheio de garotas, conheci Yuki, uma linda japonesa vestida de gato. Era uma japa linda, adorava se vestir de Gothic Lolita e de fantasias de gato, ficava miando durante o evento todo.
Tirei algumas fotos dela para o site do Anime Friends, e também tirei algumas fotos dela para mim, e claro, peguei o contato da adorável garota para poder conversar com ela no outro dia.


Na segunda feira, liguei para a mesma, morava em Santos, combinei com ela de nos vermos, tomar um drink e conversar, e ela aceitou. No final de semana viajei para sua cidade, e nos encontramos.
Yuki era deliciosa, sorriso cativante, cabelos lisos preto, olhinhos bem pequenos. De família vindo do japão quando era bem bebezinho. Seios grandes para japonesa, que geralmente não tem nada. Nada de quadril, mas tinha coxas brancas, deliciosas e bem excitantes.
Ficamos em um barzinho, ouvindo musicas antigas e tomando um vinho, nos divertimos bastante. Eu tinha 23 na época, e ela tinha acabado de completar 18. "Já da pra brincar de fazer neném", brinquei.

Apesar de calada e sorridente, eu peguei uma amizade forte com ela. Estava indo para Santos no terceiro final de semana para vê-la e poder sair. Aos poucos estava conhecendo a cidade toda, e foi justamente no cais, fotografando aqueles enormes navios que ela me perguntou se eu tinha namorada, e o que eu fazia da vida. Comentei com ela que era solteiro, e que estava interessado nela. Curto e grosso, nos beijamos pela primeira vez.
Dali começamos a ficar, e com mais algumas visitas que fiz, o relacionamento começou a ficar mais serio, certa vez que entramos no carro para comer um lanche comprado numa padaria no bairro dela, estava um dia chuvoso, e juntos no banco de trás, ela colocou a perna em cima das minhas. Ela estava de saia preta, pude ver toda a sua coxa branca. Elogiei e ela sorriu, como sempre. Terminamos de comer os sanduíches e ficamos de amassos ali no carro. Ela subiu no meu colo, estava quente e parecia fora de si, começou a se esfregar no meu pau, já duro e ela sentindo a dureza embaixo de sua calcinha. Neste dia não passamos de esfregadas e beijos quentes, mas já era um grande passo dado.

Na outra semana eu não pude ir para Santos, tive um evento para ir fazer algumas fotografias, mas quando voltei na outra semana, ela me recebeu calorosamente bem. Fui busca-la em sua casa, ela me recebeu de banho tomado, cabelos semi molhado e de roupas largas, calça de moleton e regata branca. Me apresentou para os pais dela e então fomos para seu quarto. O quarto dela parecia ser de uma garota de 10 anos, cheio de posteres de anime e cultura japonesas. Ela trancou a porta e foi logo me abraçando, disse que ficara com saudades de mim, e que queria um relacionamento serio.

Para brindar o inicio do nosso namoro, ela me puxou até a sua cama, se deitou e me pôs a deitar-se em cima dela. Continuei beijando-a, e não esperava que algo acontecesse, até que ela prendeu suas pernas nas minhas costas, trouxe meu quadril para perto do seu. Ela sentiu meu pau teso sob minha calça jeans, e sorriu. Seu rosto corou. Comecei um vai e vem de leve, continuei beijando-a. Ela continuava me prendendo, mantendo meu corpo colado no dela. Senti seus seios no meu peito, eram macios, quentes, deliciosos.

Fomos parando aos poucos, ela soltou suas pernas de mim, eu me sentei na cama dela. Quando pensei que iriamos parar com a brincadeira ela pediu para eu tirar minha calça.
Olhei espantado, iria comer aquela japa naquele exato instante, que maravilha.

Me levantei, tirei o cinto e vi ela levantando sua regata e jogando para o lado, tirei minha calça e ela tirou o sutiã. Vi aqueles seios deliciosos, empinados, bicos rosados e provocantes. Tirei minha camisa e fui subindo na cama da incrivel japa, que de repente perdeu toda a timidez. Ela tirou a calça de moletom, ficou só de calcinha, 100% algodão, cinza.
Deitado sobre ela novamente, comecei a beija-la calorosamente. Segurando sua cintura, ela começou a vibrar, a esfregar o seu quadril na minha perna, entre as pernas dela. Ela segurou minha mão que estava em sua cintura e levantou-a para seus seios. E como não sou bobo, passei a beijar o outro seio. Ela revirou os olhos, e começou a suspirar, adorando.

Os movimentos com o quadril começaram a aumentar, sua calcinha estava ficando úmida ali roçando em minha perna.
Abri as pernas dela, segurei sua calcinha e comecei a tirar, ela ficou com as mãos nos seios, segurando os biquinhos duros.
Vi sua bucetinha, bastante pêlos para sua idade, mas deliciosa. Eu estava amando aquela garota.

Me aproximei para fazer uma oral nela e ela tirou a minha cabeça. "Ficou doido?", disse.

Já vi que bom ela não rolaria sexo oral. Iria querer de mais também. Afinal, era o primeiro dia de nosso namoro, já estava comendo a linda japa, que, mais tarde, fiquei sabendo que só tinha trepado uma vez na vida, com um ex namorado nerd aos 16 anos. Sua buceta já estava juntando teia de aranha, no sentido cômico.

Tirei minha cabeça do vão das pernas dela, continuei beijando seus seios, a peguei pela bunda (era uma garota bem leve), e a coloquei em cima de mim, no meu colo. Ela já sabia o que fazer, segurou a cabeça do meu pau e foi passando ele nos lábios vaginais, esfregando meu pau já molhado de excitação em seus pêlos pubianos. Quente garota, começou a gemer abraçada em mim, suspirando, rebolando em cima de mim. Eu apalpando sua bunda, comecei a beijar seu pescoço, a mordiscar sua orelha, e ela ficando arrepiada. Sua buceta já estava molhada, sua xoxota aberta apenas com o passar da cabeça do meu pau nele. Ela me abraçou mais forte, com a mão esquerda foi guiando meu pau para a sua vagina. A entrada triunfal foi complicada, gruta pequena, apertada, cheia de pêlos, muito tempo sem usar. Ela começou a me dizer que me amava, e que por um bom tempo já estava querendo fazer aquilo. Meu pau foi entrando lentamente, ela dando pequenos gemidos de dor, e contrações a toda hora. Eu continuei abraçado com ela, também disse que a amava, e que estava adorando aquele momento.


Dei uma estocada em sua buceta, ela subiu de repente, tirou meu pau de dentro.

Me deitei na cama, ela ainda em cima de mim, começou a recolocar o meu pau dentro da gruta apertada. Passei saliva na mão e passei pelo meu pau. A cabeça passou com mais facilidade. Ainda dando gritinhos de dor e franzindo a testa, a japa conseguiu finalmente aguentar o meu pau. Entrando bem devagar, ela começou a mexer suas pernas, dobrando seus joelhos, subindo e descendo no meu cacete.


Me sentei novamente, comecei a beijar seus seios, os bicos duros como pedra. Então a deitei na cama, fiquei por cima. Ela agarrava o travesseiro do lado, sua bucetinha era mesmo apertada, meu pau não passou da metade, não consegui coloca-lo inteiro. Era muito grosso para ela aguentar.

Ela continuou gemendo. Prendeu suas pernas nas minhas costas novamente, e abriu a possibilidade de eu conseguir penetra-la com um pouco mais de vivacidade. Ela adorando, rebolando, gemendo agora de prazer. Com uma mão apoiada no colchão, a outra comecei a passar meus dedos no seu clitóris, ela de olhos fechados adorou, começou a dizer bem baixinho, quase que para si: "assim, assim que eu gosto".

Sua buceta estava lubrificada o bastante, e depois de algumas estocadas eu ia conseguindo enfiar meu pau todo la dentro.


"Que bucetinha deliciosa", acabei soltando esse pensamento sem perceber. Ela corou, estava arrepiada, sendo fodida pelo meu pau enorme. O meu saco começava a se agitar, precisava gozar de qualquer jeito, disse no ouvido dela que precisava gozar, ela soltou as pernas das minhas costas, pediu para eu tirar. Tirei meu pau e ela foi logo socando uma punheta para mim. Quando estava quase gozando a avisei. Ela colocou a outra mão sobre a cabeça do meu pau, e gozei em suas duas mãos.

Ela elogiou o jorro de goza, apanhou ao lado de sua cama uma caixa de lenços e limpou as mãos. Nos deitamos ali em seu quarto, ela adorou a foda. Eu a beijei, disse que a amava. Foi o inicio de um namoro incrível com uma japa vislumbrante.


8 comentários:

  1. Leocádia disse:
    Isso me lembrou uma comemoração do jogo do Brasil, uma copa do mundo, eu tinha 20 e poucos anos...
    Um asiático tão bonitinho olhou pra mim, mas nós ñ tínhamos um lugar pra fornicar; foi num banco do parque, em cima da bandeira nacional...seria um crime fuder em cima da bandeira???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é crime, mas prova que tu nao és patriota.. nada demais, no brasil praticamente ninguem é.

      Excluir
  2. Buen dia

    Contacto con Ud. para proponerle un intercambio de enlaces mediante el cual vernos mutuamente beneficiados.

    Cuento con la web Escorts Madrid y me gustaria que agregue mi link, a cambio de ello agregaria su link a mi directorio y a mi blog de adultos en blogspot, si esta de acuerdo hágamelo saber

    Gracias por la atención.
    lucy.caceres2011@gmail.com

    Saludos cordiales,
    Lucy LomasPrivee Staff

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já lhes enviei email, espero contato. :)

      Excluir
  3. Respostas
    1. Eu tambem estou morrendo de saudades de ti linda! ;*

      Excluir
  4. Desejo a Vc, seguidor e frequentador do SeximaginariuM um 2013
    DUCARALEOOOOO!!!
    Torço para que, no proximo ano, vc e o seu sexiblogue,
    continue quente e tesudo!
    LEO
    www.seximaginarium.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, meu amigo, um feliz ano novo pra ti tambme, e que continuemos entao com os nossos blogs fodas, ducaraleo e sempre excitando a geral! Vlw!

      Excluir