Melhor Sex Shop virtual!

sábado, 20 de outubro de 2012

Viciada no botãozinho


Olá pessoal, hoje vim escrever mais um pouco sobre a Emily, uma ex-namorada que morou comigo por uns 8 meses, trabalhávamos com um site pornográfico e vendíamos fotos lésbicas  o que nos dava um imenso lucro. As amigas de Emily sempre estavam com ela, em casa, e aos finais de semana, sempre rolava umas chupadas entre as garotas, o que me fazia viver de pau duro, ainda mais que Emily era uma ninfomaníaca  adorava fazer sexo a toda hora.

Certo dia tínhamos acabado de fazer compras, estava frio, e ela louca pra dar o cuzinho pra mim. Eu nunca tinha comido o cu dela antes, a primeira vez foi quando ela e duas amigas, bêbadas depois de algumas fotos, acabaram fodendo comigo na cama, me senti obrigado a comer o cu delas, para sossega-las (vide este conto).

Depois daquela vez, sempre que 'faltava algo' na vida de Emily, ela se sentava no meu pau e o direcionava para o cuzinho apertado. O sexo em sua buceta já não era mais aquela coisa fantástica  ela estava tendo orgasmos anais sempre que fazíamos sexo freneticamente. Voltando para a casa, no carro, ela só dizia que precisava era tacar o chuveirinho do banheiro na bunda e deixar bem limpinho para mim. Bom, eu adorava o jeito que ela falava, afinal de contas, também sou um completo ninfomaníaco.

Chegamos em casa e ela correu para o banho, deixou as compras para serem guardadas por minha conta. Mal conseguia me concentrar em guardar as compras, meu pau estava empinado, duro, teso, vermelho, quase roxo de tanto que queria comer Emily. Meu saco vivia vazio, metíamos muito, mas a minha ereção nunca faltava. Tomei um gatorade (sempre acreditei que essa porra me dava ereção, mas creio que sempre funcionou mesmo de forma psicológica), e comecei a comer alguns amendoins, precisava aguentar Emily pelo resto da noite. O relógio marcava 19:00. Íamos meter até o programa do Jô, la por cerca de 0:30.
Guardar as compras me deu no saco, ouvi Emily cantarolando no banho, já devia ter enfiado o chuveirinho na bunda para limpar tudo.

"Foda-se", pensei. Tirei as roupas, meu pau enorme teso, fui para a cama. Tirei as cobertas e fechei as janelas, puxei um lençol, em poucos instantes, 40º seria pouco para o quarto. Liguei o abajur e esperei o amor da minha vida.


Ela chegou só de toalha, sabia que sempre me excitava ver ela apenas de toalha, pronta para ser fodida. Não demorou, saltou em cima de mim feito uma trapezista. Esfregou a xota no meu pau, e riu, ela excitada era a coisa mais linda do mundo. Pegou meu pau com os dedos, e começou a esmagar a cabeça do meu pau contra o seu clitóris, gemendo feito uma louca.
Eu segurei a sua bunda, com as duas mãos, enquanto ela fazia todo o trabalho com meu pau, esfregando-o para cima e para baixo no seu grelo.


Conduzi meus dedos um pouco mais para o meio da bunda dela, encontrei seu cuzinho, quente ainda por causa da água do chuveirinho. Comecei a enfiar o meu dedo indicador, ela começou a beijar o meu pescoço, minhas orelhas, e a falar algumas sacanagens:

"Você quer me fuder?" 
"Quer perder o pau dentro do meu cuzinho?"
"Você adora me enrabar não é mesmo?"

Começou a masturbar o meu pau com o dedo indicador e o polegar, apenas a cabecinha, me deixando louco de tesão, meu pau já molhado, embaixo de sua xotinha deliciosa e melada. Peguei do libido de sua xota e joguei na porta do seu cuzinho, delicadamente.

Ela me beijou, segurando meus ombros. E começou a rebolar em cima do meu pau, querendo encaixar naturalmente o meu pau dentro daquele cuzinho apertado. Meu pau ia entrando na buceta dela, e ela levantava e continuava rebolando. Meu pau passando pela porta do cu dela mas não entrava, e ela continuava rebolando, até a cabeça do meu pau encaixar no buraquinho. O perfeito cu de Emily. O estado mais lindo de um cuzinho rosado.

Quando cansou de rebolar em cima do meu pau, comecei a chupar os seus peitos, fiquei sentado na cama e ela no meu colo. Segurou o meu pau e começou a penetrar no cuzinho bem devagar, delicadamente, com a cabeça erguida, seios sendo chupados, e dedinhos colocando a cabeçona do meu pau por aquela rosquinha apertada.
Era sempre complicado penetrar ele todo, ela sempre sorria, gritos de dor, mais gemidos abafados encostados nos meus lábios. Ela sempre fora meio masoquista, adorava ferro na bundinha.

E repetiu a mesma frase de sempre: "Esta faltando algo em mim, mete ... mete um pouquinho". E eu começava, metendo dentro daquele cu apertado. A cabeça do meu pau sendo esmagada cada vez mais. Apenas a cabeça entrava, o resto do meu pau todo ficava para fora. Os gemidos de Emily eram excitantes, eu nunca perdia a ereção para aquela linda menina.
Ela pedia para eu ir devagar, mas aos poucos ela ia aumentando o ritmo.

Eu beijando os bicos de seus seios, não muito fartos, mas deliciosos, segurando as suas nádegas, abrindo a sua bunda para facilitar o vai e vem do meu pau naquele cuzinho. Nada de lubrificante, apenas o que saia do meu pau, e o que passava da xota dela para o cu. Ela começou a masturbar a sua xota, os gemidos foram aumentando de tom, e a voz dela foi afinando. Ela adorava ser fodida por trás. De repente parou. Me beijou. Me socou um beijo demorado. Tirou o meu pau do cuzinho e se levantou, ficou de costas para mim e se sentou novamente no meu pau. Colocou as minhas duas mãos para masturbar a sua xota deliciosa, enquanto ela me beijava o pescoço, ia também fazendo massagens em seus seios.

Ela ficou ali, rebolando no meu pau, que acabara entrando ainda mais no cu dela. Ela chegou a fechar as pernas por duas vezes, louca, excitada, tendo orgasmos e tremedeiras.

Ela gemia mais alto, não parava com as reboladas, e quando parava, pedia para eu bombar. Continuava metendo na bunda dela, e ela pirando, seus olhos reviraram e la veio o gozo de sua xota. Seu cu acabou soltando todo o libido que eu já tinha liberado la dentro, junto com a minha goza que veio junto com a ultima contração que seu cu deu, que apertou o meu pau a ponto de doer. Ela parou com os gemidos, parou com os gritos, parecendo uma defunta, ela só queria dormir.
Cansados, suados, ela dizia obrigado e se deitava de lado. Nem queria mais saber de sexo em sua buceta, o cuzinho era o seu altar depois daquela orgia.

Esta noite foi apenas mais uma das nossas loucuras, das nossas quentes noites cheias de gozo, beijos e orgasmos.

Que pena que o namoro com Emily não deu certo!

2 comentários:

  1. Que pena mesmo, porque a julgar pelas histórias de vocês, ela era perfeita!!! rsr

    Esse logo logo vai para o blog...rsr

    Bjão quente e molhado

    Carol

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Carol, muito obrigado pelo comentario aqui no blog! Que bom que gostou, sinto me aliviado por ter escrito algo excitante!!! e, MEU DEUS, se este for para o Rotinas, vou me sentir mimado demais por voces! Vou me sentir tao agradecido que vou me sentir obrigado a aumentar a popularidade do Rotinas de um Casal!

      Obrigado pelo apoio, beijaaaço!!!

      Excluir