Melhor Sex Shop virtual!

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Gabriella (Parte 2)


Olá caros leitores, para voce que perdeu a primeira parte desta historia, segue o link da Parte 1
Boa Leitura! ;D

Eu e Gabriela chegamos a nos encontrar todos os dias. Quando eu não ia para o trabalho dela, ela ficava me ligando ou mandando mensagens.
Já estava em Brasília já faziam mais de 15 dias, meu apartamento em São Paulo já estava me chamando, e o hotel de Brasília já não me agradava mais. A comida começou a ficar enjoativa e eu comecei a sentir no bolso esta viagem.
Pedi para Gabriela se podia ficar na casa dela por alguns dias, e foi no ato, aceitou sem criar confusões. Eu estava pensando em ficar apenas mais alguns dias, talvez uns 3 no máximo, mas acabei ficando mais uma semana.

A semana que se ocorreu seria um tanto quanto monótoma se eu nao estivesse com Gabriella, e o fato de eu estar com ela fez com que a semana fosse muito agitado. Eu já havia tirado todas as fotos de Brasília possível, meu álbum já estava completo quando me mudei para a casa de Gabriela temporariamente, alguns trabalhos que deixei para fazer em São Paulo já estava me voltando a tona, algumas ligações de empresários e garotas que eu já havia dado um cartão. Estava atrasando todos os compromissos para ficar com Gabriella.

Na primeira noite foi uma maravilha, nos encontramos as 4 da manha, na saída do trabalho dela, nos beijamos quase  a viagem toda ate a casa. Chegando, em vez de desfazermos as malas, fomos logo tirando as nossas roupas, parecia lua de mel. Fui jogando ela no sofá, e ela segurando o meu pau duro nas mãos. Foi beijando e foi o primeiro oral que ela me fez. Antes de gozar avisei ela, e ela acabou fazendo me gozar em sua mão. Foi logo trepando em cima de mim e rebolando com tudo que pode, cavalgando violentamente. Após a terceira gozada ela se sentou do meu lado, pegou a caixinha de lenço e limpou a bucetinha, me pediu para que eu fizesse uma oral nela, e fiz com o maior prazer. Chupei ela passando a linguá em forma de 8, de cima para baixo, de baixo para cima, sugava todo aquele grelo delicioso e molhado dela, e fazia ela saltar de explosões.


No segundo dia, quando chegamos em sua casa, eu expliquei para ela que eu ficaria ali apenas por mais alguns dias, não iria poder ficar muito porque minha vida estava em São Paulo. Ela disse que tudo bem, mas me fez prometer que quando tivesse oportunidades eu teria que ir visita-la. É obvio que prometi, afinal, Gabriella era a minha Deusa do momento.

Naquela noite comecei chupando-a. Fiz uma massagem demorada nela, e ela pegou no sono, dormi sem gozar nenhuma vez, o que ja foi diferente no terceiro dia. Ela inventou de ver o mesmo filme romântico,mas, quando deram os mesmos 10 minutos de filme eu já estava abrindo as suas pernas e tirando meu pau para fora. Ela guiou meu pau até a sua buceta ainda seca, mas úmida por estar passando os dedinhos lentamente na xota, fui penetrando de pouco em pouco, do jeito que a fazia rir, e a fazia envermelhar todo o rosto de forma notável. Sentia seu cheiro entrando na minha pele, um cheiro que me excitava toda vez que metia a vara naquela xota depilada.

Comi ela de papai e mamãe e de quatro, enquanto ela assistia o filme. Depois subiu no meu colo e metia por trás, enquanto chupava seus lindos seios. Quando o filme marcava 1 hora de duração já não sabíamos se íamos pro quarto pra meter mais uma vez ou se dormíamos ali mesmo, metendo de ladinho.

O quarto dia ela decidiu não ir trabalhar, ficamos em sua casa, preparamos uma lasanha e mostrei meus dotes como um bom namorado, e não apenas como um cara que só pensa em sexo. Após um longo jantar nós fomos direto para a cama, ela vestiu uma camisola vermelha, e disse que havia usado apenas uma vez, com um ex namorado que ficou com ela por 6 anos. Ela me contou um pouco da historia triste e eu contei uma historia qualquer de alguma relação minha que não deu certo, não demorou muito e eu já estava com as mãos nos seios dela. As mãos desceram e foram para a xota dela, e la estava eu chupando aquela bucetinha de novo. Depois da chupada e do gozo na minha cara, ela montou em mim, sentada de costas para mim começou a cavalgar, mas de maneira que nunca tinha visto antes. Cavalgava com fúria, sentindo poder, as pernas dela eram incansáveis, o quadril dela não parava de se mover. Ela parecia querer arrancar o meu pau de alguma forma. Eu sentia toda a vibração de sua xota, apertada, e a caba golpe de prazer que ela tinha la dentro de sua vagina, eu conseguia sentir. Cada apertão e beliscão que eu sentia na cabeça do meu pau, que não saia do lugar, apenas ia para frente e para trás, e ela não parava de cavalgar. Suas pernas começaram a tremer, eu me sentei e segurei seus seios, e ela passou a gemer mais alto. Parecia querer acordar os vizinhos com a foda, a cama começou com o nheco nheco e batia na parece. Gabriella estava enfurecida.

Parou de cavalgar para frente e para trás, passou disso para pular no meu pau me fazendo de pula pula. A cada estocada que eu tava em sua xota era um grito que ela soltava, quando olhei para a sua bunda, e a ninfeta pulando em cima de mim, via gozo caindo em todo o meu corpo, ela não parava de gozar.

Suas pernas tremeram de novo e eu sentia a sua buceta contraindo cada vez mais. Ela descansou o corpo todo, e eu voltei a deitar, trazendo seu corpo comigo. Por um instante ela parou de cavalgar, com meu pau ainda dentro dela, ela sussurrou para eu gozar dentro dela, e que não teria problema pois tomava anti concepcional. Comecei a cavalgar lentamente nela, e ela foi pedindo com as mãos para que eu acelerasse as cavalgadas. Fui acelerando de pouco em pouco, cavalgando sem parar nela, a cama voltou com o nheco nheco e logo pude sentir seus dedos massageando minhas bolas. Não parei de meter até sentir a primeira pontada de gozo, não segurei, não me esforcei no pompoarismo, e gozei sem parar dentro dela. Gozei tanto que pude sentir a minha goza esquentando meu pau, e escorrendo para fora da xota da safada. Ela gemeu, sussurrou, arfou, suspirou e não saia de cima de mim, parecia querer dormir ali, com o meu pau amolecendo dentro dela.

Pegou minhas mãos e colocou em cima de seus seios, encostou a sua cabeça ao lado da minha e me beijou o rosto, eu com as mãos nos seios dela comecei a massagear o seio, ela logo pediu para que eu parasse. Puxou o edredom e queria dormir daquele jeito mesmo. Suados, molhados e gozados, e apaixonados. eu havia encontrado uma louca por sexo.

Pessoal, ainda não acabou, ainda faltam o quinto, sexto e o ultimo dia em Brasília!

...Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário