Melhor Sex Shop virtual!

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Sexo no café da manhã!


Quando morava com a Emily, admito, eu me preocupava muito com a minha saúde  desde um dia em que fomos trepar e eu deu 4 gozadas rápidas, e ela disse que eu devia prender melhor essa porra, literalmente.

Eu fazia caminhada e corria cerca de 10 quilômetros todos os dias, chegava exausto e cansado em casa. Geralmente, ela ja tinha preparado o nosso café, tomávamos café juntos e íamos fazer o que tínhamos que fazer: Sexo.
Depois pensávamos no trabalho.

Houve um dia em que estava correndo, e vi um grupo de mulheres correndo juntas, todas fofocando a vida de não-sei-quem e sorrindo, mas, o que me chamou atenção em todas elas foram as roupas de ginastica.

Malditas roupas de ginastica pra deixar o pau duro, é instantâneo  voce pode estar pensando em Ursinhos Carinhosos, mas você viu uma bunda daquelas, pronto, a sua mente entra em frenesi, e tudo que é pornográfico, excitante e explosivamente entesante, vem a sua mente.

Voltei para o nosso apê, ainda pensava naquelas bundas correndo na minha frente, eram muito excitantes, eu não conseguia resistir, eu precisava socar uma punheta quando chegasse em casa, pensando nas bundas das senhoras que corriam no mesmo parque do que eu.

Quando abri a porta, dei de cara com Emily, só de calcinha, de costas para mim. Ela estava com a barriga encostada na bancada do apê, colocando café para nós dois;
_Bom dia amor, tudo bom?
Não aguentei, vi aquela bundinha deliciosa, só de calcinha, desprotegida e louca pra ser comida.

Agarrei Emily por trás  eu estava todo suado, mas ela nem ligou, sentiu que meu pau estava demasiado duro, e quando ele estava dessa forma, ela ria. Sabia que ali viria orgasmos multiplos, e que caso ela pedisse eu chuparia o grelo dela com toda felicidade do mundo. Eu comecei a beijar a sua nuca, ela mal falou, largou as xicaras de café na bancada e empinou a bunda para mim, sentindo ainda mais o meu pau entesado e pontudo na bunda dela. Ela colocou as mãos para tras, alisando meu cabelo, e eu continuava a beijando, teria que fode-la ali mesmo, segurei sua cintura, e ela ja sabia o que isso queria dizer. Ela colocou a calcinha de lado e eu abaixei a minha calça molhada, nao pensei duas vezes, METI COM TUDO NA XOTA DELA.

Ela gritou, sem premilinares nenhuma, ela estava arrepiada, e eu louco de tesão, estava com calor, e como ja contei aqui, o calor me deixa com frenesi na cama. Eu comecei a morder o ombro dela, ela segurou forte na bancada enquanto eu metia forte , e a bunda dela tremia. Fazia um barulho tremendo do meu corpo batendo no dela, ela dava cada baque pra frente, sendo empurrada. Mas eu nao estava com noção da minha força, estava metendo com tudo que podia nela.



De repente, ela me deu uma bundada pra tirar o meu pau de dentro dela. Ela se virou para mim, se sentou em cima da bancada e abriu as pernas. Só foi eu abraça-la denovo e o meu pau instintivamente se encaixou na bucetinha molhada dela, metia com tudo. Ela agarrada aos meus ombros continuava gemendo, quase gritando de prazer incontrolável  Estava gozando, mas nao conseguia parar. Acabei gozando dentro da xota dela, e ela não queria que eu parasse, continuou pedindo por mais, mais, mais.

Me agarrou com as pernas por tras, me prendendo nela, parei de bombar na sua xota, mas agora era ela que queria por mais sexo. Ela agarrada em mim, pulou da bancada, Agora estavamos de pé, eu segurando a bunda dela, a levantando pra cima e pra baixo, sendo apoiada apenas pelo meu pau, furioso, frenético!

Ela gozou, em cima do meu pau. Comprimiu toda a xota dela, apertando o meu pinto como nunca. Todos os seus músculos envolveram a minha glande, e eu tive que suspirar, gemi alto de prazer. Quando tirei meu pau, toda a minha goza escorreu da sua buceta.

E ela disse: "Toma o café, e vamos pra cama, não acabou não".

E isso era só o começo dos nossos dias a dois.

-- Se gostou, segue aqui o link do Audio Conto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário