Melhor Sex Shop virtual!

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Amor no Colegial (Angela, parte 4)


Oi leitores do Cenas muito Quentes.

Hoje vou continuar contando as historias que tive junto com Angela, o meu amor no Colegial.

Angela era uma gracinha, inocente apesar de ser uma otima chupadora de pintos, inocente sim, bobinha sim, mas nada frigida. Sabia a hora de começar a massagear as minhas bolas, talvez por curiosidade.

me lembro de um dos nossos encontros, sempre eram em casa, das 15:10 as 17:50, sempre ficavamos na sala de casa ou no meu quarto, e faziamos amor a quase todo dia. Juntos, aprendemos a nos lembrar de sempre colocar a camisinha, porque, como ja contei no conto passado, passamos varias semanas desesperados, desde que gozei dentro da xota dela com tudo que pude.

Era um dia de calor, eu e Angela estavamos no meu quarto, estavamos tao excitados, principalmente porque as aulas de Biologias estavam falando sobre Sexo, e na sala de aula ficavamos nos entre olhando todo o tempo. A cada olhada dela, meu pau ficava duro, e nao tinha como esconder, ia toda hora ate a carteira dela, infelizmente, tinhamos que sentar longo, ja que as carteiras eram organizadas pela ordem Alfabetica.

Mas isso nao era problema pra nós, quando saiamos de lá, as 13:00, nos beijavamos por umas meia hora atras da pilastra do patio, onde ninguem via. E quando a turma do periodo da tarde chegava, as 13:45, nós saimos pelo portao. Para nossos pais, estavamos nos esforçando pra passar em provas de ensino Técnico, era o nosso segredo.
E depois dos beijos, como ja disse, as 15:10, eu abria a porta de casa, e ela entrava, sempre cheirosa depois de um longo banho e preparação para me ver.

Como eu ia dizendo, certo dia, estavamos morrendo de calor, e tambem estavamos excitados, desmontei ela na cama, meti com tudo que pude. Nesta epoca, estava ganhando resistencia na duração do sexo, assim como ela tambem estava ficando mais fogosa, ela estava com muito mais energia, e precisava que eu metesse por mais tempo na xota dela, ate ela tremer as pernas, que era o sinal de quando ja estava gozando. Experimentavamos varias posições novas, experimentavamos tudo de novo e que tinhamos em mente. O nosso primeiro 69, a primeira espanhola que tive na vida tambem foi com ela. E em dias de calor, eu sentia ainda mais fúria, talvez por causa do quarto fechado ou porque o suor me fazia ficar incansavel, mas eu metia nela furiosamente, meu saco ficava batendo na bunda dela com furia, que quando terminavamos, alem de dor nos musculos do estomago, o meu saco tambem ficava roxo, sem contar a bunda dela.

Depois do sexo, ficavamos trocando beijos, eu a masturbava ate ela dizer chega, sempre fora assim.

Foi um dia em especial que, quando comecei a masturba-la, depois do sexo, ela disse que queria mais. Olhei para o meu pau e ele nao se levantava, faziamos muito sexo, faziamos um dia sim e um dia nao, e no dia em que nao faziamos sexo, ela me chupava o pau e o saco, até esvazia-lo todo. Não aguentaria repetir a dose, entao decidi continuar masturbando-a, mas ela nao queria apenas isso, ela queria mais, pegou o meu pau ainda mole e começou a esfregar na xota, mas ele nao levantava, nao adiantava. Estavamos suados e exaustos, entao, propus um banho.

Ela aceitou, com o banho iriamos sossegar o fogo.
Foi o que tinha pensado ao menos.

Quando ligamos o chuveiro, e ela começou a esfregar os seios, pra tirar o suor, o meu pau começou a se levantar, ela riu e indagou que aquilo só podia ser brincadeira. Segurei-a pela cintura, ela agarrou o meu pau com as duas mãos e foi direcionando pra bucetinha. Foi a nossa primeira transa em pé, com a agua escorrendo os nossos corpos suados, naquele dia quente de verão, fodiamos endoidados. Ela rebolava no meu pau, tinhamos um ritmo frenetico, e ela nao parava de jeito algum. Toda a minha energia de adolescente de 16 anos estava indo embora. Ela ergueu uma perna, empinou a bundinha pra mim e eu mandei a ver, como todo bom dia de calor, bombava tao forte na buceta dela que o meu saco chegava a doer!

E o melhor de estar de saco vazio é que se mete e nao goza nunca. O cansaço vem, a dor no pinto vem, a dormencia chega, mas voce nao para de meter, ela começou a gemer alto, fiquei com medo dos visinhos ouvirem, mas, "foda-se", pensei, estava mandando ver na minha namorada, estava fazendo ela gozar de prazer, ela estava com os bicos do peito muito duros, e rebolava com muito prazer, com muita vontade! De repente, senti uma ejaculação em cima do meu pau, as pernas dela tremeram e a fez cair de joelho no box do banheiro. Ela teve uma ejaculação, assim como o homem tem, e que para nós, que ja somos velhos e experientes no assunto, sabemos que algumas garotas sao capazes disso.
Naquela época, eu e ela nos entre olhamos e pensamos: "Uau, isso realmente aconteceu?"

Meu pau estava vermelho, ja nao aguentava mais nada, ele ficou duro por um tempo mas, depois da gozada que ela deu no meu pau, nao queria mais saber de pintos. Tomamos o banho e fomos para o meu quarto, acabamos dormindo.


Acordamos era as 20 horas, meus pais ja estavam em casa, e eu tive que apresenta-la para toda minha familia. Nao foi sacrificio nenhum, e isso me fez ganhar uma mesada extra do meu pai. E uma aproximação dele tambem. Foi bem melhor sair com uma garota linda do meu quarto do que um garoto. E dizer que caimos no sono fez tão bem aos ouvidos do meu pai que só depois disso que ele viu que eu nao era apenas um garoto estranho que gostava de fotografias e playboys, eu era o que todo pai espera de seu filho: Um Fodedor de Bucetas Virgens!

4 comentários:

  1. Delícia de relato, quente e intenso!
    Só não gosto NADA de ter de cumprir a "verificação de palavras" para poder comentar, por isso às vezes visito e não comento:(

    Beijos prometidos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, peço PERDÃO, noa tinha percebido que a maldita verificação de palavras ainda estava ativa. Tambem odeio. Já o tirei, obrigado por ter me avisado!
      Beijaço! VOLTE SEMPRE!!!

      Excluir
  2. Muito massa vc Edgar esta d parabéns e se estiver uma mulher afim d fazer uma história mi procure no facebook jonathan jony

    ResponderExcluir
  3. oow meu caro, quando criar um facebook irei te procurar, pode ter certeza. Nao criei devido a muito trabalho e falta de tempo.. Mas obrigado mesmo assim.

    ResponderExcluir